Dupla de excelência

Dupla de excelência

Ronayre Nunes*
postado em 22/02/2018 00:00
 (foto: Nelsinho Faria/Divulgação)
(foto: Nelsinho Faria/Divulgação)


O mestre gaitista Maurício Einhorn e o guitarrista Nelson Faria são dois nomes responsáveis por pavimentar o tom de excelência de seus respectivos instrumentos. Os dois se apresentam, hoje e amanhã, no Clube do Choro, às 21h, com um repertório de canções inéditas compostas por Einhorn.

O guitarrista, violonista, arranjador e compositor Nelson Faria é umas das grandes referências brasileiras, que, além dos trabalhos próprios, foi atuante em participações em mais de 300 álbuns de grandes artistas nacionais. O mineiro teve parte de sua formação musical feita aqui na capital ; na Escola de Música de Brasília. ;Eu vim de uma família muito musical, e era um ambiente em que todo mundo tocava e eu aprendi a tocar assim;.

Após dar o pontapé inicial na carreira, passando uma temporada estudando nos Estados Unidos, foi a vez de Faria atuar como guitarrista de uma das maiores cantoras brasileiras: Cássia Eller. ;De vez em quando, rolava uma canja com a Cássia, que eu já conhecia de amizade de adolescência. Um dia eu recebi uma ligação falando que ela me queria como guitarrista no novo trabalho dela, e eu falei que não sabia se era o cara certo, mas ela insistiu e acabei ficando cinco anos tocando com ela. Gravamos dois álbuns. Foi um momento de muita aprendizagem;, conta.

Após uma carreira de vários sucessos ; como os álbuns Ioiô (1993) e Janelas abertas (1999), Faria se dedica a lecionar música em uma Universidade da Suécia, ao seu trabalho em canal no YouTube (Um café lá em casa, com mais de 7 milhões de visualizações e mais de 80 mil seguidores) e em uma plataforma de ensino de música on-line, a ficaadicapremium.com.br.

Mestre da gaita

;Muita afeição à música! Foi o que me atraiu de sobremaneira, meus pais tocavam e eu ouviam gaita desde bebê e, aos 5 anos, ganhei minha primeira. Já aos 12, meu pai me presenteou com uma gaita cromática. Foi quando eu tive o contato com uma escala igual ao do piano. Ai, eu me apeguei de tal maneira que participei de programas de calouros, apresentações no grêmio da escola, além de tocar para visitas em casa. Mas sempre atrás da porta, porque ficava encabulado;, lembra Maurício Einhorn.

Para o mestre da gaita de 86 anos, a entrada da maior referência do instrumento no mundo da música foi quase natural. O nome por trás de títulos como Curta metragem, Alvorada e Domingo de manhã, conta que, ao longo da carreira, já compôs quase mil canções.

Fazendo apresentações desde criança, Einhorn foi um dos músicos que antecederam a bossa nova e ajudaram o gênero a brotar com uma personalidade única no país. ;Eu entrei na bossa nova compondo com gente como Alberto Araújo e outros tantos, e sou um felizardo de ter participado desse movimento, mesmo que com uma influência mais próxima do jazz.;

Sobre se apresentar na capital, Einhorn é só felicidades e saudosismo. ;Estar de volta é bom, ainda mais com Faria, que é uma parceria muito boa e bem executada, pois temos uma afinidade muito grande;, ressalta o músico.

*Estagiário sob supervisão de Igor Silveira


Maurício Einhorn e Nelson Faria
Show com o gaitista e o violonista hoje e amanhã, às 21h, no Espaço Cultural do Choro (Eixo Monumental). Ingressos: R$ 40 e R$ 20 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 14 anos. Informações: 3224-0599.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação