Mudança na ação militar

Mudança na ação militar

postado em 27/02/2018 00:00


A Política Nacional de Defesa e a Estratégia Nacional de Defesa dão o norte das Forças Armadas no país e, nos documentos, diretrizes pregam a necessidade da participação da sociedade civil nas decisões. A militarização de postos estratégicos da defesa e da segurança nacional do país tem preocupado especialistas e políticos, que temem um descontrole da situação por parte do próximo presidente que assumir o país.

Na opinião do diretor-presidente do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Renato Sérgio de Lima, o governo está rompendo o pacto federativo e republicano mudando a forma de se conceber segurança e defesa nacional. ;São decisões que atendem interesses a curtíssimo prazo, que parecem desconsiderar as consequências a médio e longo prazo. Será que o próximo presidente vai ter força para mudar essa abertura que está sendo dada agora? Como será essa relação?;

Instrumento

Para o professor da Universidade de Brasília (UnB) Juliano Cortinhas, o momento é de retrocesso. ;As Forças Armadas são um instrumento do Estado e não os donos do Estado e isso é baseado na teoria da soberania popular. Em uma democracia, quem é o titular do poder é o povo e este elege um representante máximo, que tem a responsabilidade de conduzir as Forças. O que estamos vendo é um retrocesso de um longo processo de reconquista do controle do país por civis;, comenta Cortinhas. (Natália Lambert e Rosana Hessel)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação