Incansável F.C.

Incansável F.C.

De volta aos campos, atacante de 48 anos acredita que o país sofre escassez de centroavantes. O veterano jogador confia na conquista do hexa e gostaria de ver Tite na presidência do Brasil

Victor Gammaro Especial para o Correio
postado em 13/03/2018 00:00
 (foto: Ed Alves/Esp. CB/D.A Press - 24/3/11)
(foto: Ed Alves/Esp. CB/D.A Press - 24/3/11)



;O futebol está chato. É o reflexo do momento do país, de violência e corrupção. Se você brinca, as pessoas, já estressadas, levam para um lado de agressão e desrespeito;



A irreverência que marcou a carreira de Túlio Maravilha continua acompanhando o jogador de 48 anos. Apesar de ter anunciado a aposentadoria dos gramados em 2014, ele fechou contrato recentemente com o Atlético Carioca, de São Gonçalo, que disputará a quarta divisão do Rio de Janeiro a partir de junho. Em entrevista exclusiva ao Correio, o atacante, que jura ter mais de 1000 gols na carreira, acredita que Cristiano Ronaldo e Messi podem chegar à marca. Ex-vereador de Goiânia, Túlio é descrente com o momento atual da política brasileira e ofereceria voto a Tite, caso o treinador da Seleção Brasileira topasse se candidatar à Presidência da República. Além disso, o ex-jogador do Brasiliense admitiu que não acompanha mais o futebol candango e acredita que o Botafogo briga contra o rebaixamento na temporada.


Por que voltar aos gramados agora?
Não perco a motivação. Eu me cuido desde que parei, não vejo problema em voltar. Vou fazer gols como sempre. Além disso, vamos buscar subir para a terceirona.

E a Copa do Mundo? Acredita no hexa?
Temos chance de vencer. Somos favoritos junto com Argentina, Espanha, Alemanha, França; Aqueles times de sempre. A Copa é um campeonato com muitos jogos eliminatórios, então, em um dia ruim, você acaba sendo eliminado. Mas vamos torcer.

O time do Tite te agrada? Gosta do trabalho treinador?

Claro que sim. O time dele é o melhor possível. Ele resgatou o nosso orgulho de torcer pela Seleção Brasileira. Se o Tite fosse candidato a presidente, eu votaria nele. Quero que ele fique no comando mesmo se a gente perder na Rússia. Ele tem muito crédito.

E o Neymar? Gosta dele? Daria algum conselho?

Eu sou fã do Neymar. É o melhor que apareceu por aqui nos últimos anos, nosso grande ídolo. Torço por ele no Paris Saint-Germain e na Seleção Brasileira e, em questão de tempo, ele será o melhor do mundo. Só falaria para ele ser mais focado, traçar mais os objetivos e deixar coisinhas pequenas de lado. Se ele pegar o Messi como inspiração, ele arrebenta.

Quem são os melhores camisas 9 do Brasil atualmente. Você vê uma escassez nessa posição?

Atualmente, Gabigol e Borja, porque futebol é momento. Acredito também em Ricardo Oliveira e Fred, que ainda não encontrou a boa forma no Cruzeiro. Henrique Dourado está começando a se consolidar como um grande artilheiro. Fora esses, não vejo grandes atacantes surgindo no nosso futebol. O Guerrero é um nível acima deles, mas não muito, apesar de ter um estilo diferente, mais participativo, tem um status maior por ser jogador de seleção.

O que espera do Botafogo em 2018?

O Botafogo está praticamente começando do zero. Mudou a diretoria, jogadores e comissão técnica. É uma fase de transição. O Jair fez um trabalho muito bom na temporada passada, mas é hora de recomeçar. Temos de ser realistas, não tem elenco para vencer a Copa Sul-Americana e já saiu da Copa do Brasil. O foco tem de ser em se manter na elite do futebol brasileiro para o ano que vem, até pelo pouco investimento, pela estrutura. Permanecer na Série A é bom negócio.

Recentemente, houve polêmica em torno da comemoração do Vinícius Júnior diante do Botafogo. Acha que ele fez certo? Acredita que o futebol está chato?

O futebol está chato sim. É o reflexo do momento do país, de violência e corrupção. Se você brinca, as pessoas, já estressadas, levam para um lado de agressão e desrespeito. O atleta tem que saber brincar no momento certo. No caso do Vinícius, em particular, eu não achei nada demais, mas talvez não fosse o momento. A geração que ficou famosa por chorar já passou, acho que ele poderia fazer outra coisa.

Acompanha o Campeonato Candango?

Não. Na minha época, o campeonato ainda tinha marketing, alguns jogadores de peso. De uns anos para cá, caiu bastante a visibilidade e eu não consigo acompanhar nada. Se ainda tivesse um time de Série B pelo menos, mas nem isso.

Segundo as contas pessoais, você tem mais de mil gols na carreira. Acredita que Cristiano Ronaldo e Messi podem alcançar a marca?
Claro que podem. Eles têm que ter paciência, boa forma física e, segundo meus cálculos, meterem no mínimo cinquenta gols por ano. Tem que ter motivação para isso e, se traçarem esse objetivo, chegam lá. Eu consegui, Romário, Pelé;

E entre os dois craques, quem você prefere?
O Ronaldo é mais matador. Ele tem presença de área e se a bola chegar, ele faz. Messi é mais completo. Decide o jogo e dá assistência. Se for para escolher um para o meu time, escolho o Messi, com certeza. Seria um garçom ideal para mim.

Pode surgir um ;novo Túlio; no futebol brasileiro?

Acho muito difícil, meu filho é lateral-direito (do Taboão da Serra, na Série A3 do Paulistão), não tem perfil de marqueteiro. De repente o mais novo herda o meu perfil, ainda tem dez anos. Se ele fizer 10% do que eu fiz, já está ótimo. Futebol é alegria, muitos gols e marketing pessoal.

Nas eleições municipais em 2008, com quase 9 mil votos, você foi eleito vereador. Pensa em voltar para a política?

Não tenho planos para isso. Algumas pessoas até me pedem, mas não tenho aptidão para isso, não é o meu perfil e minha experiência não foi boa. O meio é sujo, corrupto. Se você não entrar no jogo deles, acaba sobrando. Resolvi sair disso e foi a melhor coisa que fiz.

Como enxerga o atual momento político do país?

A resposta do brasileiro tem que ser na urna. Claro que os eleitos devem ser bons políticos, pessoas que conheçam nosso país. Porém, tem de ser idôneo, correto e honesto, o básico. Isso é simples, mas é difícil achar gente assim na política.

Prefere ganhar o hexa ou que o brasileiro vote melhor?
Eu prefiro que a gente vote melhor (risos). Se o hexa não for agora, pode ser depois. O nosso povo está cansado de errar, quero que a gente eleja um presidente campeão.









Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação