Mercado s/a

Mercado s/a

Amauri Segalla
postado em 19/03/2018 00:00
 (foto: Evaristo Sá/AFP

)
(foto: Evaristo Sá/AFP )

Temer quer acelerar Rota 2030
O presidente Michel Temer tem reunião marcada em 10 de abril com representantes do setor automotivo. Na pauta, o Rota 2030, o novo programa industrial para o setor, parado desde outubro de 2017 em razão da queda de braço entre os ministérios da Fazenda e da Indústria e Comércio. Outro ponto de interesse da indústria automobilística é o acordo entre o Mercosul e a União Europeia, também paralisado desde o ano passado. Segundo os empresários, se bem negociada, uma parceria União Europeia-Mercosul tem potencial para alavancar os negócios no Brasil. Enquanto isso, o mercado brasileiro continua em alta. Em janeiro e fevereiro, os emplacamentos cresceram 13,9% ante o mesmo período do ano passado. Destaque positivo para os asiáticos, que registraram os maiores avanços. Na outra ponta, a francesa Citroen foi a única que encolheu (7,3%). Entre as grandes, a Volkswagen acelerou 37,3% nos dois primeiros meses do ano.

A polêmica decisão a favor dos sindicatos
A Central dos Sindicatos Brasileiros (CSB) está comemorando uma decisão polêmica. Até o final da tarde de sexta-feira da semana passada, foram mais de 30 decisões de primeira e segunda instâncias obrigando as empresas a descontar a contribuição de seus funcionários. Segundo especialistas, a partir de abril, ações de execução contra as companhias que não descontaram os valores vão inundar os tribunais de Justiça do país.

Acordo em prol de imigrantes venezuelanos
Ericsson, Vivo e o Ministério da Indústria fecharam uma parceria para implementar tecnologias 3G e 4G na cidade de Pacaraima, em Roraima, porta de entrada de imigrantes venezuelanos no Brasil. A ideia é substituir as conexões por satélites utilizadas no registro de refugiados. O projeto é ambicioso e prevê também a criação de um laboratório de capacitação de imigrantes na Universidade Federal de Roraima. Estima-se que cerca de 40 mil venezuelanos morem na capital Boa Vista.


As rotas acessíveis do Google
O Google é o maior exemplo de como a inovação deve ser uma obsessão para as empresas. Seu serviço de localização Google Maps vai indicar rotas acessíveis para cadeirantes e pessoas com problemas de mobilidade ; algo inédito. Os novos recursos estarão disponíveis nas principais áreas metropolitanas do mundo (Nova York, Londres, Tóquio, Cidade do México e Sydney). Por enquanto, o Brasil não desfrutará da novidade.

Rapidinhas
  • A Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) foi escolhida para coordenar e mediar dois painéis (;Crescimento inclusivo e sustentável; e ;Água e cidades;) durante o Fórum Mundial da Água, realizado nesta semana, em Brasília. Não custa lembrar: o Fórum é o mais importante evento global para debater o tema.
  • A escolha é importante para a entidade, que afirma estimular as empresas a ;pensar estrategicamente o uso da água desde o momento de projetar empreendimentos comerciais e residenciais.; Nos últimos anos, os avanços registrados no setor tornaram o Brasil referência nesse campo.
  • Depois de um longo período de trevas, o setor de eventos espera crescer em 2018. Segundo a União Brasileira dos Promotores de Feiras (Ubrafe), a previsão é avançar 3% em 2018 com a realização de pelo menos 2 mil eventos. São Paulo lidera o ranking nacional, com R$ 16,3 bilhões em benefícios gerados para a cidade.
  • A nova onda das empresas é monitorar o comportamento dos consumidores em redes sociais e antecipar os movimentos feitos por eles. ;Poucos setores crescem tanto no país quanto o de agências especializadas em analisar o que dizem os clientes, descobrir quais são os anseios deles e projetar compras futuras;, diz Eduardo Tancinsky, consultor especializado em marcas e tecnolog

"A imagem do Tite está associada a credibilidade, confiança e idoneidade, valores que buscamos em nossa operação;
João Adibe, presidente do Grupo Cimed, que contratou o técnico da Seleção para ser garoto-propaganda da marca. Tite vai faturar alto com o Mundial. Além da Cimed, ele tem acertos com Samsung e Universidade Nassau.

53,5 bilhões
é o quanto vai faturar o comércio eletrônico brasileiro em 2018, segundo previsões da consultoria Ebit. O mesmo estudo mostra que o Brasil deve fechar o ano com mais de 60 milhões de compradores.


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação