"Black Energy" causou apagão na Ucrânia

"Black Energy" causou apagão na Ucrânia

postado em 05/04/2018 00:00
Rio de Janeiro ; A Ucrânia foi vítima de dois graves ciberataques à sua rede elétrica em um intervalo de dois anos. O primeiro deles foi em dezembro de 2015. O segundo ocorreu em dezembro de 2017. O ataque cibernético causou um apagão e também o corte de uma parte do abastecimento de energia da capital do país, Kiev, e foi feito por hackers.

O malware que causou o apagão é o ;Black Energy;. Apesar dos estragos, empresas da área de segurança informaram na época que o ataque de 2017 foi menos agressivo (durou cerca de uma hora) que o de 2015, quando os invasores conseguiram destruir os terminais dos operadores e impossibilitaram que o sistema fosse reparado de forma remota. A solução foi que os técnicos fossem até as subestações para religar o abastecimento de energia. Autoridades ucranianas culparam a Rússia pelos incidentes.

Em 2016, os russos também foram acusados de um ataque a uma estatal do setor elétrico dos Estados Unidos. O vírus foi localizado em um notebook e isolado para que não contaminasse o sistema e afetasse o abastecimento de energia.

As ações de cibercriminosos também afetaram o setor de energia nuclear. Em 2014, hackers chegaram a divulgar dados sobre usinas nucleares da Coreia do Sul. Os norte-coreanos foram acusados, mas nada se provou. Na ocasião, a Korea Hydro and Nuclear Power (KHNP) e o governo informaram que apenas dados considerados ;não críticos; foram roubados e que não houve risco para as instalações nucleares do país. (PP)

Os maiores motivadores de ataques cibernéticos
Econômicos:
- fraude na medição de energia
- roubo ou bloqueio de dados com pedido de resgate

Políticos:
- interrupção de energia por ciberterroristas
- danos nos ativos da concessionária
- danos a outras infraestruturas críticas

Fonte: UTCAL

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação