Concurso

Concurso

Edital do concurso foi divulgado ontem. Há oportunidades para candidatos de nível médio de escolaridade e portadores de diploma de curso superior em postos de preenchimento imediato e formação de cadastro reserva

» LORENA PACHECO
postado em 28/04/2018 00:00
 (foto: Daniel Wainstein/Valor/Folhapress - 7/7/11)
(foto: Daniel Wainstein/Valor/Folhapress - 7/7/11)


Um novo concurso público foi aberto pelo Tribunal Regional do Trabalho da 2; Região (TRT-2), com sede em São Paulo. De acordo com o edital do certame, divulgado pela banca organizadora, a Fundação Carlos Chagas (FCC), são oferecidas 320 vagas para preenchimento imediato, além de formação de cadastro reserva. Os salários variam de R$ 6.780,53 a R$ 11.006,83.

Quem tem nível superior pode concorrer a 181 postos para o cargo de analista judiciário, que é distribuído nas áreas judiciária, judiciária na especialidade de oficial de justiça avaliador federal, administrativa, administrativa na especialidade de contabilidade, arquivologia, biblioteconomia, enfermagem, engenharia, segurança do trabalho, estatística, medicina, medicina cardiologia, medicina clínica geral, medicina do trabalho, medicina psiquiatra, nutrição, psicologia, serviço social, tecnologia da informação e história.

Já quem tem nível médio ou técnico pode concorrer a 139 chances de técnico judiciário nas áreas administrativa, de telefonia, segurança, enfermagem e tecnologia da informação. O período de inscrições foi aberto ontem e vai até 21 de maio. Os interessados podem se cadastrar por meio do site www.concursosfcc.com.br. As taxas vão de R$ 80 a R$ 95. O edital reserva 5% das vagas a pessoas com deficiência e 20% a negros.

De acordo com o edital, as provas objetivas e de redação serão aplicadas em 27 de julho, em São Paulo, pela manhã, para candidatos a cargos de nível médio, e à tarde para os de nível superior. Candidatos a técnico judiciário na especialidade de segurança farão também provas de aptidão física. Nas provas, serão cobrados conhecimentos específicos exigidos para cada cargo almejado. Além disso, todos os candidatos, independentemente do posto pretendido, terão que fazer provas de conhecimentos gerais nas seguintes áreas: língua portuguesa, matemática e raciocínio lógico, noções de informática, noções sobre direito das pessoas com deficiência, legislação e ética no serviço público.

Delegados em Goiás

A Secretaria de Gestão e Planejamento de Goiás deve lançar, na primeira quinzena de maio, edital de novo concurso público para delegados substitutos. A banca organizadora será a Universidade Estadual de Goiás (UEG), por meio do seu Núcleo de Seleção. Serão abertas 110 oportunidades de provimento imediato para formados em direito. O último concurso público para o cargo, realizado pela própria UEG, ocorreu em 2012, com 109 vagas. Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Goiás (PCGO), o salário de delegado gira em torno de R$ 17 mil.

O último concurso para delegado da PCGO foi lançado em novembro de 2016, mas ainda está suspenso, de acordo com a página de acompanhamento disponibilizada pelo Centro Brasileiro de Pesquisa em Avaliação e Seleção e de Promoção de Eventos (Cebraspe), empresa organizadora da seleção. De acordo com a promotoria do estado, o resultado das provas objetivas causou estranheza em razão da quantidade de aprovados que alcançaram notas superiores a 90 pontos, sendo que o exame teve alta complexidade e cada questão errada acarretava a perda de 0,25 ponto da nota final. Cinco pessoas suspeitas de fraude foram presas.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação