Brasília-DF

Brasília-DF

por Denise Rothenburg » deniserothenburg.df@dabr.com.br
postado em 28/04/2018 00:00


Assustou e irritou

O fato de a Polícia Federal elencar a filha do presidente Michel Temer como testemunha no inquérito dos portos serviu de combustível para o tom incisivo que o emedebista adotou em seu pronunciamento no Planalto. Temer não se conforma com o fato de, em quatro meses, a Polícia Federal não ter concluído o inquérito. Há a convicção no Planalto de que os vazamentos desta semana e a convocação de Maristela vieram sob encomenda para garantir mais uma prorrogação. Na avaliação de ministros, se houvesse fato concreto para oferecer denúncia contra o presidente, a PF já teria encerrado as investigações. Ao pedir nova prorrogação, a PF deixa Temer ainda mais desgastado e exposto politicamente. Para quem precisaria se dedicar neste período pré-eleitoral à montagem das candidaturas do partido pelo Brasil afora, é o pior dos mundos.

Tarde demais I
Os petistas ainda tentaram uma reaproximação com o ex-ministro Antonio Palocci para demovê-lo da delação premiada. Não deu certo. Palocci mandou dizer que, ao longo de todo o período na prisão, não recebeu sequer um telefonema de solidariedade. Tampouco foi chamado de ;guerreiro do povo brasileiro;.

Tarde demais II
Palocci põe o PT em grandes dificuldades. Afinal, se for tudo comprovado, até o registro do partido estará sob risco.

Renan vai a Lula
O senador Renan Calheiros (MDB-AL) pediu para seus advogados requisitarem um horário para que ele possa visitar o ex-presidente Lula na sede da PF, em Curitiba, onde o petista cumpre pena.

Precavidos
Além do pedido à juíza Carolina Lebbos, da 12; Vara de Execuções Penais de Curitiba, os advogados planejam preparar também recurso à instância superior. Afinal, Renan quer deixar bem claro que se trata de uma visita e não de uma inspeção.

Casamento eleitoral
O PT claramente escolheu o deputado Jair Bolsonaro para brigar em plenário, observa o deputado Beto Mansur (MDB-SP). E o PT não esconde essa estratégia. Em conversas reservadas, os petistas têm a certeza de que uma disputa entre Bolsonaro e um candidato de Lula no segundo turno é a certeza do retorno do partido ao poder.

No embalo do casório...
O bate-boca entre petistas e bolsonaristas serviu de motor para o manifesto que o senador Cristovam Buarque (PPS-DF) e o deputado Marcus Pestana (PSDB-MG) planejam fazer no mês que vem. A ordem é deixar claro que o país não merece esse ;populismo autoritário; de esquerda e de direita.

Quem não chora.../
O senador Dário Berger (MDB-SC) chegou irado ontem ao quarto andar do Palácio do Planalto. Foi cobrar o corte de R$ 1 milhão em suas emendas parlamentares. Estava tão bravo que conseguiu repor os recursos.

Se não pode derrotá-los;/ ; Junte-se a eles. Na pré-convenção que o MDB de Minas Gerais fará nesta terça-feira, Adalclever Lopes vai defender que o partido tenha candidato próprio ao governo estadual. Tudo porque as consultas internas indicaram que essa é a preferência dos convencionais. Mas, como as convenções oficiais para escolha de candidatos serão apenas em julho, tudo pode mudar no balanço dos dias.

Segurança em debate I/ O 8; Seminário Internacional de Direito Administrativo e Administração Pública terá como tema a segurança pública. A organização é do Instituto Brasiliense de Direito Público (IDP) e da FGV projetos, em 24 e 25 de maio, no auditório do IDP em Brasília. Em discussão, temas como sistema único de segurança, gastos públicos, encarceramento feminino.


Segurança em debate II/ Já confirmaram presença no seminário o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann (foto), e o deputado português Vitalino Canas, autor da legislação sobre criminalização das drogas em Portugal.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação