117 mil vacinados contra H1N1

117 mil vacinados contra H1N1

Em uma semana, passou de sete para 14 o número de registros da doença. Secretaria reforça a importância de imunização e garante que há doses suficientes na rede pública para os grupos de maior risco

» Luiz Calcagno
postado em 28/04/2018 00:00
 (foto: Luiz Calcagno/CB/D.A Press)
(foto: Luiz Calcagno/CB/D.A Press)


O número de casos de H1N1 dobrou no Distrito Federal na última semana: passou de sete para 14, de acordo com o boletim informativo divulgado pela Secretaria de Saúde do DF ontem. Uma pessoa morreu. Ainda segundo o documento, a quantidade de contaminados com gripe também aumentou. Foram 525 episódios notificados, sendo 413 em moradores da capital. A pasta reforça, no entanto, que não há motivo para se apressar e que todas as pessoas incluídas no grupo de maior risco serão vacinados até 12 de maio.

A campanha de vacinação completou uma semana ontem. No período, 117.152 pessoas se imunizaram, 16,5% das 706.988 que integram o grupo de risco. A gratuidade da vacina se estende a bebês de 6 meses a 2 anos e crianças até 4 anos, gestantes, puérperas, idosos a partir dos 60 anos, trabalhadores da saúde, indígenas, detentos e funcionários do sistema prisional e professores. Alguns pacientes da rede pública têm direito à imunização de forma gratuita, entre eles, os que fizeram transplante. O restante da população precisa pagar pela dose. Os preços variam entre R$ 90 e 150 em clínicas particulares.

A servidora pública Adriana Martins Reis, 37, moradora de Águas Claras, também fugiu das filas demoradas do início da campanha. Ontem, depois do expediente, levou os filhos Arthur, 9, e Alice, 2, ao posto de saúde. A caçula foi imunizada. ;Não esperei mais que 20 minutos. Saí do trabalho e vi que dava tempo, então, aproveitei. Não precisa desse sufoco do início da semana;, comentou.

Dentro do esperado

;A população pode ficar tranquila. Tem vacina para todo mundo. Nossa orientação é para que não tenham muita pressa. Se chegar à unidade de saúde e tiver fila, volte em outro horário. A quantidade de pessoas imunizadas na semana está dentro do esperado e temos até 12 de maio para cobrir os grupos de risco;, garante a diretora de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Maria Beatriz Ruy.
;Os demais podem se vacinar e têm as prevenções básicas, que são manter ambientes arejados, lavar as mãos com água e sabão e evitar fazer contato com boca, nariz e olhos para evitar a transmissão;, recomenda a diretora.


Palavra de especialista

Eficácia da imunização


A vacina é feita com o vírus inativado, que não desenvolve a doença no vacinado. São três tipos mais agressivos. Mas temos mais de 20 tipos de vírus, e, ainda, os vírus que causam o resfriado, que confunde a população, pois tem sintomas parecidos. Uma pessoa vacinada pode se resfriar. Tem outra situação possível: você toma a vacina hoje, mas já pegou a gripe antes. São 15 dias para o medicamento fazer efeito e pode não dar tempo se você se infectou antes de tomar a injeção. São situações que fazem com que as pessoas pensem que, mesmo tomando a vacina, ficaram gripadas.

Carla Domingues, coordenadora do Programa Nacional de
Vacinação do Ministério da Saúde

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação