Rebelião em presídio no Novo Gama

Rebelião em presídio no Novo Gama

Quatro presos foram reencaminhados às celas depois de terem tentativa de fuga frustrada. Parentes alegam que detentos estão sem receber refeições desde a noite de sexta-feira. Direção da unidade nega e afirma que estoque está abastecido

» OTÁVIO AUGUSTO
postado em 27/05/2018 00:00
 (foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 12/1/17)
(foto: Marcelo Ferreira/CB/D.A Press - 12/1/17)


Um princípio de rebelião agitou o Presídio de Novo Gama, localizado no município de mesmo nome (GO), a 43km de Brasília. Quatro presos tentaram fugir da cadeia ontem. Familiares de detentos alegam que a confusão começou devido à falta de alimentos. A direção da prisão nega que os presos estejam sem receber as refeições. A situação só foi controlada com a chegada da Polícia Militar.

Por medo de represália, a mãe de um detento, que pediu para não ser identificada, contou que houve disparos dentro do presídio. Ela acompanhou a confusão desde o iniício. ;Ninguém fala nada. Só escutamos eles gritando que estão sem comer há dois dias. Tentamos falar com a direção, mas não explicaram o que estava havendo;, relatou.

Outra mulher, que tem o marido encarcerado, disse que presos foram transferidos de ambulância. ;Eles estão sem comer desde sexta-feira. Não teve jantar aquele dia (sexta) e hoje (ontem) não serviram o almoço. As famílias deveriam ser avisadas para trazer comida. A situação é insustentável;, reclamou.

Recapturados

Policiais Militares do 19; Batalhão de Novo Gama acompanharam a ocorrência. Os quatro detentos que tentaram fugir do presídio foram recapturados. Agentes prisionais contiveram os presos. O Grupo de Patrulhamento Tático (GPT) de Novo Gama também foi para o local.

Por telefone, a direção da Cadeia Pública de Novo Gama informou ao Correio que não houve rebelião, mas sim, uma tentativa de fuga frustrada. ;Há receio, por parte dos presos, de que a empresa que faz o fornecimento das marmitas não consiga manter o abastecimento se o estoque de comida não chegar;, disse um funcionário.

Ele negou que os presos estão sem comida. ;Não há, neste momento, razão para preocupação. O estoque está abastecido e não houve a suspensão de nenhuma refeição;, garantiu.

A Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGAP) de Goiás informou, em nota, que agentes de plantão evitaram a fuga dos detentos quando eles já estavam na cozinha, próximo ao muro do presídio. ;Durante o banho de sol, eles empreenderam fuga pela laje E, e tentavam pular o muro para acessar a parte externa da unidade;, destaca a nota.

Após reconduzir os presos para a cela, os agentes acionaram a direção da cadeia que, com a participação da escolta da unidade, dos demais agentes e também do Grupo de Intervenções Táticas (GIT) concluíram a recontagem. ;Não houve fuga;, conclui o texto.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação