Disputa resume a polarização do país

Disputa resume a polarização do país

postado em 27/05/2018 00:00
O candidato mais jovem e líder nas pesquisas é o senador direitista Iván Duque, 41 anos, de inexpressivo histórico político, porém com um apoio de peso: o do controverso ex-presidente Álvaro Uribe, o senador mais votado nas eleições legislativas de março. O segundo colocado, com uma desvantagem de 10 pontos, é Gustavo Petro, ex-guerrilheiro e ex-prefeito de Bogotá, 58 anos, que promete um pacote de reformas. Logo atrás aparecem o independente de centro Sergio Fajardo e o ex-vice-presidente Germán Vargas, que prometem surpreender nas urnas. O ex-negociador de paz com as Farc Humberto de la Calle surge em grande desvantagem, e o evangélico Jorge Trujillo não registra índice nas pesquisas.

Duque e Petro são a imagem de um país radicalmente dividido. ;Essa polarização começou antes, no plebiscito de 2016 para referendar os acordos de paz;, destaca Juan Carlos Rodríguez, do Observatório da Democracia da Universidade dos Andes. A simetria de posições ficou clara, por exemplo, nos debates eleitorais sobre a crise na vizinha Venezuela, que empurrou 762 mil refugiados para a Colômbia, dos quais 518 mil desejam fixar residência no país.

A Colômbia praticamente não mantém relações diplomáticas com o governo do presidente reeleito Nicolás Maduro. A fronteira entre os dois países foi tomada pelo contrabando de gasolina, de mercadorias e de drogas.

Duque propagou a ideia de que, em um eventual governo ;castrochavista; de Petro, a Colômbia se tornaria ;outra Venezuela;. O candidato da esquerda não esconde a condição de simpatizande das ideias do falecido presidente venezuelano Hugo Chávez, mas afastou-se de Maduro e de seu projeto, que considera ;adverso à democracia;.

O próximo governante colombiano nem mesmo foi eleito e já é alvo de um apelo de Maduro. ;Espero que o presidente que for eleito tenha a altura, a valentia e a coragem para recompor as relações com a Venezuela, que Juan Manuel Santos, lamentavelmente, destruiu a níveis nunca vistos em 200 anos;, disse o chavista na semana passada, ao denunciar que ;Santos está preparando planos macabros para criar uma situação de conflito bélico;. (JV)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação