Reinaldo Azevedo

Reinaldo Azevedo

"Locaute e concessões indicam que estamos num ciclo de instabilidade institucional"

postado em 01/06/2018 00:00

Próximo presidente também deve cair

O locaute, a reação da sociedade e as concessões feitas pelo governo indicam que estamos num ciclo de instabilidade institucional. Será longo. Ciclos são marcados por regularidade e reiteração de eventos, e por fenômenos que se conectam em série. É como se existisse, de fato, um ;espírito do tempo; a deitar sua sombra fatalista sobre a história. É bobagem, mas a ideia é sedutora. Este escrevinhador considera estar além das suas sandálias responder se, afinal, há uma ;causa não causada; para tudo o que existe. No debate público, prefiro o universo das coisas causadas.

Sociedades passam por desajustes que levam a reajustes e à formação de novos consensos. Diante da ameaça do colapso, as forças que contam adotam ou acatam medidas protetivas em defesa do sistema que lhes garante voz, identidade e voto.

O que se viu no Brasil não é inédito na história, mas é raro. Assistimos a um flerte com o suicídio coletivo ; e, dentro deste, algo ainda mais exótico, que é o suicídio de retaliação: ;Vou me vingar com a autoimolação;. Exemplifico: sindicatos ligados ao agronegócio chegaram até a oferecer tratores para bloquear as estradas. Na pauta dos grevistas, desde sempre, estavam a majoração e o tabelamento do frete, o que eleva brutalmente os custos do... agronegócio.

Em 1959, White Wilderness, produzido pela Disney, ganhou o Oscar de ;Melhor Documentário;. Retratava o suicídio coletivo dos lêmingues, roedores que promovem migrações em massa atendendo ao instinto de... sobrevivência! O ;documentário; é um misto de ignorância e farsa. Mas a Disney pode se redimir. Os brasucas estamos por aqui. Topamos saltar do abismo, cair no oceano e nadar, por nada, até que as águas traguem nossa exaustão. Somos os verdadeiros roedores de presentes promissores e de amanhãs que não virão.

O Datafolha foi bastante eloquente. A esmagadora maioria dos brasileiros se solidarizou com a greve, mas rejeitou a satisfação da pauta. Apoia o festim, mas não topa pagar a conta. Essa massa está caminhando para as urnas, mais ou menos como os lêmingues da Disney seguiam para o desfiladeiro. Cálculos preliminares e, entendo, modestos apontam um prejuízo que roça os R$ 100 bilhões. O impacto negativo no PIB pode chegar a um ponto percentual ; em números de 2017, R$ 66 bilhões. Será maior porque estamos em crescimento.

O que há de regular, reiterado, sérico e interconectado nestes dias? Resposta: a destruição do homem público, da ordem democrática, dos fundamentos legais. E os lêmingues verde-amarelos o fazem sob o pretexto de combater a corrupção, que seria a causa primeira, a ;causa não causada;, de todos os nossos males, o que é uma mentira por definição. Em quatro anos, a Lava-Jato recuperou, de fato, R$ 1,5 bilhão para a Petrobras. O resto ainda é promessa. Aplausos! O espírito que a operação engendrou, ou seu mau espírito ; a causa causada do desastre ;, no entanto, provocou, em moeda corrente, só com a greve, algo em torno de R$ 10 bilhões de prejuízo por dia.

A depredação do meio ambiente institucional, democrático e pluralista era um monopólio da esquerda. Setores da direita resolveram disputar esse mercado, mimetizando e, se me permitem, ;memetizando; até a linguagem dos esquerdistas. Não por utopia mal digerida, mas por pilantragem.

Desde quando advirto, aqui e em toda parte, para os ricos? Não obstante, no dia 26, em meio ao caos, o ministro Roberto Barroso, do STF, notório depredador da Constituição e do direito de defesa, anunciou, num encontro de juízes em Maceió, a capital mais violenta do país para os pobres sem toga, que estamos apenas num começo de era. Uma amiga, admiradora, como sou, de O nome da rosa, de Umberto Eco, notou: ;Era o Bernardo Gui discursando...;, numa referência ao inquisidor, personagem histórica (1262-1331), que aparece no romance.

E é do livro que extraio esta síntese: ;Há pouca diferença entre o ardor dos Serafins e o ardor de Lúcifer porque nascem ambos de uma inflamação extrema da vontade;.

Dificilmente o próximo presidente conclui o mandato. Ciclo longo.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação