Mercado S/A

Mercado S/A

Localidades dependentes da geração termelétrica ficaram sem energia no início da semana, levando transtorno aos moradores e impedindo empresas de funcionar

Amauri Segalla amaurisegalla@diariosassociados.com.br
postado em 01/06/2018 00:00
 (foto: MRV Engenharia/Divulgação)
(foto: MRV Engenharia/Divulgação)


A paralisação dos caminhoneiros e a energia solar

A crise gerada pela greve dos caminhoneiros acendeu o sinal de alerta no setor elétrico. Como muitas cidades ficaram no escuro em razão do desligamento de termelétricas no Norte e Centro-Oeste, os debates sobre possíveis incentivos para a implementação de energia solar ganharão força nos próximos meses. Em Rondônia, seis localidades dependentes da geração termelétrica ficaram sem energia no início da semana, levando transtorno aos moradores e impedindo empresas de funcionar. ;Os projetos e as instalações estão ganhando escala, um fator extremamente importante para os fabricantes e para toda cadeia na geração solar fotovoltaica;, diz Anaibel Novas, diretor da Fronius, fabricante do setor. Segundo a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o Brasil deverá ultrapassar a marca de 2 gigawatts (GW ) de geração de energia solar fotovoltaica em operação, o suficiente para abastecer 500 mil residências e atender o consumo de 2 milhões de brasileiros. Ainda é pouco, mas já é um começo.


  • 73;
    É a posição do Brasil no ranking global
    de qualidade de infraestrutura feito
    pelo Fórum Econômico Mundial a partir
    da análise de dados de 137 países.
    A infraestrutura ruim aniquila a competitividade
    das empresas e atrasa o desenvolvimento







USP dará aula de empreendedorismo

A Universidade de São Paulo vai incluir tema essencial para a formação dos profissionais da nova economia: empreendedorismo. O reitor da USP, Vahan Agopyan, afirma que a incorporação da nova disciplina demonstra a importância de uma base acadêmica voltada à criação de negócios. ;Não podemos continuar ensinando como há 30 anos;, diz ele. ;Muitas profissões desapareceram e outras surgiram. O ensino superior não pode parar no tempo.;



Grupo Indigo aposta no futebol brasileiro

O grupo francês Indigo, líder mundial em gestão de estacionamentos, ampliará sua presença no mercado brasileiro por meio do futebol. Depois de assumir por uma década a administração do estacionamento da Arena Corinthians, em São Paulo, o grupo negocia com outros grandes clubes brasileiros. O contrato com o Corinthians, que servirá como um cartão de visitas, prevê investimentos de R$ 15 milhões, incluindo melhorias tecnológicas e de infraestrutura.



Dunlop de carona nos caminhões

Em plena greve que parou o país, a japonesa Dunlop decidiu estrear no segmento de veículos de carga. A empresa anunciou que a partir de 2019 passará a fabricar em sua unidade de Fazenda Rio Grande, no interior do Paraná, pneus comerciais para ônibus e caminhões. A unidade foi inaugurada em 2013 com investimentos de R$ 750 milhões. Atualmente, a Dunlop fornece suas linhas de passeio para as montadoras de automóveis e o mercado de reposição.




Rapidinhas

  • ; A Órigo Energia concluiu a instalação dos equipamentos para geração de energia fotovoltaica em sua segunda fazenda solar em Minas Gerais. São cerca de 20 hectares no município de Francisco Sá, que vão gerar 1 milhão de quilowatts (kWh) por mês. A primeira fazenda começou a operar em outubro do ano passado e a empresa prevê a instalação de outras 10 neste ano.

  • ; Em meio ao caos provocado pela greve dos caminhoneiros, muitas pessoas se deram conta da importância dos carros elétricos. A boa notícia é que eles começaram a avançar. Em 2017, 1,1 milhão de veículos desse tipo foram vendidos no mundo, aumento de 57% em relação ao ano anterior, segundo a Agência Internacional de Energia.

  • ; Sobre a nota ;Amgen acelera investimentos em biotecnologia; publicada anteriormente nesta coluna, a empresa informa o seguinte: ;Entre 2017 e 2018, a Amgen lançou cinco medicamentos. No Brasil, comercializa 11 medicamentos no total. Os sete medicamentos citados na Coluna são biossimilares que ainda estão em pipeline na Amgen global;.

  • ; A rede de fast food Taco Bell, especializada em culinária mexicana, oficializou nesta semana o contrato de master franquia no Brasil com o grupo Sforza, de Carlos Wizard Martins (foto). O empresário pretende atingir a marca de R$ 15 bilhões em vendas daqui a quatro anos, com mais de 200 unidades.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação