No clima para uma boa festa

No clima para uma boa festa

Bandeiras com símbolos do Mundial estão espalhadas pelas ruas. Lobo Zabivaka, mascote da competição, embala os lucros dos vendedores

Renan Damasceno Enviado especial
postado em 05/06/2018 00:00
 (foto: Fotos: Renan Damasceno/EM/D. A Press
)
(foto: Fotos: Renan Damasceno/EM/D. A Press )

Moscou ; A nove dias da abertura da Copa do Mundo, o ambiente em Moscou ainda é morno, mas começa a esquentar com os eventos de patrocinadores e as bandeiras com as cores do Mundial, que ocupam os principais pontos turísticos da cidade. Ontem, os russos fizeram longa fila para tirar uma foto com o troféu do Mundial, que faz turnê pela cidade. Mas fora dos limites do evento, a rotina era de uma típica segunda-feira na metrópole de 12,5 milhões de habitantes, com metrôs cheios e trânsito tumultuado.

Objeto de desejo das 32 seleções que começam a desembarcar na Rússia a partir de hoje ; o Irã será a primeira delegação a chegar para iniciar os treinos no CT do Lokomotiv ;, o troféu faz uma peregrinação por território russo. Começou em 1; de maio, quando desembarcou em Vladivostok, nas mãos do mineiro Gilberto Silva, campeão mundial em 2002, e passou por outras sete cidades antes de chegar a Moscou, onde fica exposta até quinta-feira ; uma semana antes de Rússia x Arábia Saudita, que abrem o Mundial, às 15h (de Brasília), no Estádio Luzhniki.

;Os russos estão animados, gostam de futebol, não como os brasileiros, mas estão empolgados;, conta a tradutora Arina Fedotova, que esteve na Copa do Mundo de 2014, no Brasil. ;Os ingressos de jogos para os russos esgotaram rápido e, hoje, só é possível comprar muito mais caro. Ou seja, eles querem muito ver a Copa;, conta.

Verão

O jornalista curdo Star Hanna, que vive há quatro anos em Moscou, também vê os russos motivados com o Mundial. ;Para os russos, será muito bom receber pessoas do mundo inteiro, especialmente para Moscou, que é uma metrópole, com jovens de cabeça aberta. Será importante para o mundo ter uma visão diferente do país;, afirma Star. ;Outro ponto positivo é que o Mundial é no verão, uma época em que os russos estão nas ruas, nos parques e podem se divertir mais.;

O clima, certamente, será um fator que ajudará os turistas durante a Copa. Moscou vive um início de verão de altas temperaturas. Ontem, a máxima foi de 25;C ; 10;C acima do mesmo dia no ano passado. Com o sol se pondo depois das 21h, os russos têm invadido os parques públicos e as margens do rio Moscou, que corta a cidade.

Mascote

Ontem, na turnê da taça, a maior fila era para tirar fotos com o troféu, mas a grande atração para as crianças era a mascote Zabivaka, que significa ;pequeno goleador;. A imagem de Zabivaka, a exemplo de Fuleco, de 2014, está espalhada por toda a cidade, em bandeiras, cartazes e nas lojas de artigos da Copa. A mascote é um lobo marrom, que usa roupas esportivas apropriadas para o verão russo e um óculos laranja na cabeça. Foi escolhida em votação pela internet, vencendo um tigre e um gato.

Mas levar o Zabivaka para casa não sairá barato. Um simples chaveiro, com a mascote de pelúcia, custa 670 rublos (cerca de R$ 40). O urso de pelúcia é vendido por 900 rublos (R$ 54) nas lojas oficiais do evento. Nas boutiques de souvenir, na região central, entretanto, é possível comprar diversos produtos do lobo a partir de 100 rublos (pouco mais de R$ 6).
;Para os russos, será muito bom receber pessoas do mundo inteiro, especialmente para Moscou, que é uma metrópole, com jovens de cabeça aberta. Será importante para o mundo ter uma visão diferente do país;
Star Hanna, jornalista curdo


Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação