Ataques criminosos em Minas e em Mossoró (RN)

Ataques criminosos em Minas e em Mossoró (RN)

INGRID SOARES ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 08/06/2018 00:00
Liderados pelo PCC, os ataques a ônibus continuam. Na madrugada de ontem, uma ambulância e um carro do Corpo de Bombeiros foram incendiados no Rio Grande do Norte, em Mossoró. Dois homens acabaram presos. Em Natal, na noite de quarta-feira, homens encapuzados tentaram incendiar um ônibus.

Em Minas Gerais, três veículos foram queimados. As investidas contra coletivos e prédios de segurança começaram no domingo e somam ao menos 101 ataques, sendo 64 a ônibus, em 35 cidades. Segundo a PM, 51 suspeitos estão presos e mais 22 menores apreendidos.

Os últimos ataques ocorreram em Uberlândia, Sacramento, João Pinheiro e Alfenas. No Triângulo Mineiro, houve reforço do policiamento em algumas cidades. Também foram registrados disparos em direção aos prédios da administração e alojamento da base militar, mas não houve feridos. A Secretaria de Administração Prisional avalia a possibilidade de transferência de presos. Em nota, a Secretaria de Estado de Segurança Pública afirmou que trabalha para esclarecer os ataques que policiais à paisana atuam circulando nos ônibus.

Avaliação
Segundo o especialista em segurança pública e direito criminal Yure Soares de Melo, em ano eleitoral, os ataques devem ampliar a preocupação dos candidatos com a segurança pública. ;Eles têm que traçar uma estratégia política para minar as organizações criminosas e os eleitores devem cobrar. Tem de haver um bloqueio de informações dentro dos presídios. As cadeias são escritórios de crimes. Os principais líderes estão presos, mas as informações são passadas por celulares. Tem de ter uma atividade de inteligência e pesquisa aparelhada para ver de onde vem as ordens. O governo demonstra total descontrole da segurança pública. Esse é o reflexo do crime que está mais organizado do que o estado;, concluiu.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação