PM aposentado será indiciado por homicídio

PM aposentado será indiciado por homicídio

» SARAH PERES ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 08/06/2018 00:00
O policial militar aposentado Rubens Pereira do Nascimento, 52 anos, será indiciado pelo homicídio do jardineiro Francisco Jean Ferreira, 39, e por tentar matar a mulher dele, Gabriele Alves de Lima, 26. O servidor é suspeito de atirar na cabeça e no joelho das vítimas, respectivamente, após uma briga de trânsito, em 27 de maio, em Planaltina. Rubens teria avançado na faixa de pedestre no instante em que o casal atravessava com os filhos, e Jean reclamou. A 31; Delegacia de Polícia (Planaltina) investiga o caso.

Jean Ferreira permaneceu 11 dias internado em estado grave na UTI do Hospital de Base, depois de ser atingido com um tiro na cabeça. Ele morreu na noite de quarta-feira. A dona de casa Gabriele passou seis dias no Hospital Regional de Planaltina. Ela recebeu alta em 1; de junho e anda com a ajuda de muletas. A arma usada no crime foi uma pistola calibre .380, artefato particular de Rubens, que tem o porte.

Segundo o delegado Pedro Moraes, chefe da 31; DP, a corporação não pediu o indiciamento do militar porque agentes ainda investigavam o que poderia ter ocorrido no dia da briga. ;Tínhamos quatro versões sobre o caso, sendo que duas eram mais verossímeis: a narração do policial e da Gabriele. Como ele veio até a delegacia por vontade própria entregar a arma, não quisemos ser precipitados.;

Como a versão de Gabriele ganhou força contra a história de Rubens, o delegado o indiciará e não descarta a possibilidade de pedir a prisão preventiva do militar da reserva. ;Há algumas lacunas para serem preenchidas, mas nossos agentes estão trabalhando nisso. Tudo será avaliado e, se necessário, haverá a prisão de Rubens e um pedido para cassar o porte de arma de fogo dele;, destaca Pedro Moraes.

O crime

Gabriele relata que a família atravessava a faixa de pedestres quando Rubens passou direto, em uma moto. ;Meu marido falou para que ele respeitasse a faixa e, nesse momento, Rubens voltou na contramão para discutir. Os dois se xingaram e, depois, começou a luta corporal. Eu estava um pouco mais afastada, gritando e tentando proteger meus filhos;, conta a jovem. ;Em meio à briga, o Rubens sacou a arma e acredito que, acidentalmente, atirou. O disparo pegou no meu joelho. Mas o segundo tiro foi proposital, ele apontou a arma para a cabeça do Jean, como se realmente quisesse matá-lo;, afirma.

Jean e Gabriele estavam casados há oito anos e, juntos, têm um filho. Quando o casal se conheceu, a mulher já tinha uma filha, hoje com 9 anos. ;Ele cuidava dela como se fosse filha dele mesmo, não fazia nenhuma distinção. O Jean era o nosso protetor;, diz Gabriele.

A Polícia Militar informou, em nota, que aguarda o término das investigações para se manifestar.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação