Memórias reprimidas

Memórias reprimidas

Exposição Sem o peso de nenhuma lembrança reflete sobre a felicidade extrema expressa nas redes sociais

Nahima Maciel
postado em 08/06/2018 00:00
 (foto: Arnaldo Saldanha/Divulgação)
(foto: Arnaldo Saldanha/Divulgação)






A maneira como o homem contemporâneo se relaciona com a imagem foi o ponto de partida para o fotógrafo Arnaldo Saldanha conceber o ensaio Sem o peso de nenhuma lembrança, em cartaz a partir de amanhã na Galeria XXX.
Diante do bombardeio de imagens que sugerem, nas redes sociais e na internet, mundos e vidas felizes e alegres, o artista passou a refletir sobre o que não é mostrado.
;Todo mundo quer mostrar um lado mais suave, quando há todo um sofrimento que não é mostrado. É uma relação que a gente ainda procura entender e esse trabalho é uma maneira de tentar discutir um pouco mais essa relação;, explica.
A banalidade da imagem e a noção de memórias reprimidas guiaram Saldanha em uma série de 22 registros que trazem paisagens e objetos fotografados de maneira conceitual e com um propósito simbólico. ;Meu trabalho fica entre o documental e a fotografia contemporânea e esse trabalho tem um viés mais poético, mais conceitual;, avisa.
;Tento achar uma atmosfera dentro de uma imagem, é uma foto mais minimalista. Nossa relação com a imagem hoje é complicada e vai em diversos aspectos. Temos uma dependência maior da imagem do que antigamente;, diz.

SERVIÇO
Sem o peso de nenhuma lembrança
Exposição de Arnaldo Saldanha. Curadoria: Rogério Carvalho. Abertura amanhã, às 19h, na Galeria XXX. (Rua Sucupira, 23, Condomínio Verde, Jardim Botânico).




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação