Agente tóxico reaparece

Agente tóxico reaparece

Quatro meses depois do envenamento de um ex-espião russo, um casal é contaminado com a mesma substância - o Novichok, de origem soviética -, em uma cidade próxima. Divisão antiterrorismo foi acionada

postado em 05/07/2018 00:00
 (foto: Geoff Caddick/AFP)
(foto: Geoff Caddick/AFP)


O Reino Unido está novamente em emergência, no intervalo de menos de quatro meses, por um caso de envenenamento pela substância neurotóxica Novichok, agente químico de uso militar supostamente desenvolvido pela Rússia no período soviético. Um casal estava ontem hospitalizado em situação crítica em Salisbury, a mesma cidade onde, no início de março, o ex-espião russo Sergei Skripal foi internado com a filha, Yulia, por intoxicação pelo mesmo composto. ;Nesta noite, recebemos os resultados das análises que indicam que as duas pessoas estiveram expostas ao Novichok;, disse em comunicado o chefe da agência antiterrorista britânica, Neil Basu.

Charlie Rowley e Dawn Sturgess, ambos na faixa dos 40 anos, foram encontrados inconscientes, no sábado, em uma casa na cidade de Amesbury, a poucos quilômetros de Salisbury, em condições semelhantes as de Sergei e Yulia Skripal. O ex-coronel do serviço de inteligência russo, que vive no Reino Unido há 10 anos, depois de ter sido libertado numa troca de espiões ; ele fora condenado por passar informações à inteligência britânica ;, teve alta hospitalar em meados de maio, semanas depois da filha. O caso provocou uma séria crise diplomática entre Moscou e Londres.

A polícia do condado de Wiltshire acionou a unidade antiterrorismo da polícia britânica e adotou medidas semelhantes às que se seguiram ao caso de Skripal, encontrado com a filha em um banco de praça de Salisbury, ambos desmaiados. A casa onde Rowley e Sturgess estavam foi isolada, assim como alguns locais frequentados por eles, como uma igreja batista de Amesbury. A medida se estendeu ao parque Queen Elizabeth Gardens, em Salisbury. O policiamento ostensivo foi reforçado em ambas as cidades. Até a noite de ontem, nenhum outro caso de contaminação tinha sido registrado.

A identificação do agente Novichok foi confirmada pelo laboratório militar de Porton Down, o mesmo que examinou o material colhido no caso Skripal. O chefe da divisão antiterrorista da polícia britânica, porém, disse não ter de início elementos que indicassem que as vítimas de Amesbury tenham sido vítimas de um ataque deliberado. ;Nada indica que eles estiveram em algum dos lugares contaminados na tentativa de assassinato de Sergei e Yulia Skripal;, afirmou Neil Basu. ;O agente neurotóxico é o mesmo, e os especialistas devem ainda determinar se procede do mesmo lote;, complementou. O funcionário observou ainda que ;o risco para o público é baixo;.

Investigação

Também a polícia de Wiltshire alegou não ter, de início, elementos que caracterizem o incidente ;como um ato criminoso;. Quando Rowley e Sturgess foram encontrados inconscientes, no sábado, a suspeita inicial foi de uma overdose de drogas ; possivelmente, heroína ou crack. Exames clínicos levaram à pista do Novichok, mas as autoridades não descartam a hipótese de que os dois tenham sido vítimas de uma contaminação acidental. As informações recolhidas com vizinhos não permitiram estabelecer qualquer relação entre eles e Skripal, nem algum tipo de conexão com a inteligência russa, apontada por Londres como responsável pelo atentado contra o ex-espião.

O gabinete da primeira-ministra Theresa May pronunciou-se para dizer que o episódio está sendo investigado ;com a maior seriedade;, mas pediu ao público que ;deixa a polícia trabalhar;. Apesar das medidas de segurança preventivas adotadas em Wiltshire, o conselheiro (vereador) Robert Yuill disse à agência de notícias France-Presse que a reação do público ;é bem menos intensa; do que a verificada no incidente com Skripal.

Natalie Smyth, 27, vizinha da casa onde o casal foi encontrado, estranhou a movimentação no sábado, com ;caminhões de bombeiros, ambulancias, a rua fechada e agentes com trajes especiais;. A primeira informação, relata, era sobre ;um incidente químico ou com drogas;. ;É estranho, pois aqui é um lugar muito tranquilo.;


"O agente neurotóxico é o mesmo, e os especialistas devem ainda determinar se procede do mesmo lote;
Neil Basu, chefe da divisão de contraterrorismo da polícia britânica



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação