Entre chuvas e aquarelas

Entre chuvas e aquarelas

Robson G. Rodrigues*
postado em 05/07/2018 00:00
 (foto: Luísa Melo/Divulgação)
(foto: Luísa Melo/Divulgação)


;A chuva me traz respostas para dilemas meus existenciais.; Tal reflexão levou o londrinense Venância de Oliveira, 32 anos, a escrever Quando a chuva chega, livro bilíngue que reúne contos ligados pelas gotas d;água e por doses de existencialismo.

A obra, a primeira a ser publicada por Venâncio, será lançada amanhã, no MimoBar, com presença do autor e da ilustradora Luísa Melo, responsável pelas aquarelas que acompanham e complementam o livro.

Quando a chuva chega é dividido em duas partes: na primeira, os contos são escritos em espanhol; na segunda, em português. As populosas São Paulo e Cidade do México são pano de fundo das histórias, cujo clímax é marcado pela chegada da chuva.

A chuva é elemento vivo no livro. Perpassa momentos de melancolia, tristeza, sensualidade e autodescoberta. ;A chuva é o grande personagem que unifica todos os contos;, pontua Venâncio.

A ambígua narrativa salta de interlocutor e ora sugere apontar diretamente ao leitor. ;O narrador fala em ;você;, como se fosse uma revisão de consciência sobre pontos reflexivos;, observa. ;Parece que ele está falando com a gente.;

Trata-se de um ;exercício sensível de alteridade; construído pelo autor ao escrever sobre ;o outro;. A intenção é fazer com que os leitores se sentissem eu líricos da história, experimentando dilemas alheios.

;Que a gente se veja em outras pessoas que não sejam a gente. Sentindo os dilemas existências dessas pessoas nas duas grandes cidades que são dois grandes monstros latino-americanos;, afirma Venâncio de Oliveira.

Na Cidade do México, onde vive há seis anos, o escritor conheceu a brasileira Luísa Melo, designer e artista plástica ,cujos trabalhos impressionaram o escritor. Logo, foi convidada a compor as ilustrações de Quando a chuva chega, que vêm em anexadas ao livro.

Para dar cores aos contos, Luísa buscou utilizou técnica em que se pinta com água. ;Representei com a aquarela. Fiz uma textura de chuva, como forma de costurar as ilustrações de cada conto;, explica a brasiliense.

Algumas das aquarelas originais estarão expostas durantes o lançamento do livro. Além disso, haverá sessão de autógrafos e bate-papo com o autor e a ilustradora.

*Estagiário sob supervisão de Igor Silveira




Quando a chuva chega
Contos de Venancio Oliveira, com ilustrações de Luísa Melo. Editora Ediciones Periféricas, 140 páginas. R$ 40. Lançamento de livro e exposição Quando a chuva chega. MimoBar (CLN 105, Bloco C; Asa Norte). Sexta, às 19h. Entrada franca. Classificação indicativa: livre



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação