Eixo capital

Eixo capital

Ana maria campos/anacampos.df@dabr.com.br
postado em 15/07/2018 00:00

Crise com várias causas

A crise no grupo de Jofran Frejat pode provocar o fim da candidatura do político que lidera as pesquisas no Distrito Federal. Há tempos, há apostas de que o ex-secretário de Saúde, pelo temperamento, teria dificuldades de seguir com a campanha. Frejat não aceita interferências, o que afasta os possíveis parceiros de chapa, nem segue as orientações políticas dos aliados. Tudo isso somado à falta de dinheiro. Pela Lei Eleitoral, apenas depois de 16 de agosto os recursos dos fundos partidário e especial de financiamento de campanha são repassados. Da mesma forma, apenas com o início da campanha serão liberadas as contribuições de colaboradores. Por isso, tem sido difícil avançar. A formação das chapas para candidatos proporcionais também tem provocado embates na base. Ninguém sabe agora o quanto a atitude de Frejat pode desestabilizar ainda mais a campanha e provocar desembarques de políticos para outras chapas.


Reação na base arrudista

Todo o grupo político de José Roberto Arruda está chateado com a atitude de Jofran Frejat (PR), de anunciar possível desistência e deixar subentendido que o motivo seriam interferências do ex-governador. Há uma pressão grande para que Arruda não apoie mais Frejat, caso ele dê outro cavalo de pau e reassuma a candidatura ao Buriti.



Quando a união faz a força

O ex-governador José Roberto Arruda pode apoiar outro candidato. Entre os concorrentes que se apresentam no páreo, vários tiveram relação política com ele e até participaram de seu governo. É o caso de Eliana Pedrosa (Pros), Izalci Lucas (PSDB), Alírio Neto (PTB), Peniel Pacheco (PDT), Alberto Fraga (DEM), Paulo Octávio (PP) e Joe Valle (PDT). A vários interlocutores, Arruda disse acreditar que qualquer um desses ganharia a eleição se todo o grupo estiver unido.



Costura nacional para aliança entre PR e PSDB

Coordenador da campanha de Geraldo Alckmin, o ex-governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), participou de um jantar na casa de José Roberto Arruda (PR), há 10 dias, com a presença do dirigente do PR Valdemar Costa Neto. O assunto era uma possível aliança nacional entre PR e PSDB, com repercussão local. Jofran Frejat (PR) esteve no encontro. A aposta foi de que, no âmbito do DF, a coligação seria possível. Começou ali a articulação para que o deputado Izalci Lucas (PSDB) desistisse da candidatura ao governo, para ser vice de Frejat.


Vice

Um dos motivos da crise é a possível escolha de Ibaneis Rocha como vice de Jofran Frejat, por indicação de Tadeu Filippelli.


Recado claro

Se Jofran Frejat (PR) mantiver a candidatura ao Palácio do Buriti, uma coisa estará clara. Ninguém negocia nada em seu nome. Nenhum acordo sem o seu aval vale. Quem acreditar em interlocutores pode se dar mal.


Sem interferências

No governo Roriz, quando era secretário de Saúde, Jofran Frejat ouviu, certa vez, do então poderoso secretário de Governo Benjamin Roriz, que o governador queria indicar uma pessoa para a diretoria de um hospital. Frejat disse: ;Pode preparar o ato de nomeação. Aproveita e faz junto o da minha exoneração;. E não se falou mais no assunto.


Mandou bem

A presidente da Croácia, Kolinda Grabar-Kitarovic, comprou passagens econômicas para a Rússia e pagou do próprio bolso a estadia para assistir aos jogos da seleção que chega hoje à final.



Mandou mal

Um preso perigoso, com ligações com Fernandinho Beira-Mar, foi solto de forma irregular por servidores do presídio de Formosa. Ele conseguiu um Habeas Corpus, mas havia duas condenações por tráfico de drogas que impediam a liberação da cadeia.



Enquanto isso... Na sala de Justiça

Um projeto em tramitação na Câmara dos Deputados muda as competências das Varas de Fazenda Pública do DF. Processos relacionados a empresas públicas passam a ser distribuídos a Varas Cíveis. A justificativa é destinar pequenas causas, como, por exemplo, processos em que se discute uma conta de água da Caesb, aos Juizados Especiais Cíveis. O deputado Rogério Rosso (PSD) é o relator da matéria.



Estilo Jânio Quadros

Muita gente comparou o gesto de Jofran Frejat, na ameaça de desistir da candidatura, ao gesto de Jânio Quadros quando renunciou ao mandato de presidente da República em 1961. Ele espera um movimento favorável à sua permanência no cargo, como forma de conquistar mais poder. Itamar Franco também tinha arroubos semelhantes. Mas, em tempos de redes sociais, esse tipo de atitude causa muito mais repercussão.


Consequência

A solidariedade de Rodrigo Rollemberg (PSB) a Jofran Frejat (PR) despertou avaliações. Muito difícil ocorrer de forma explícita, mas o ex-secretário de Saúde pode, a depender dos desdobramentos, ajudar na reeleição do atual governador.


Apostas

O deputado Laerte Bessa (PR/DF) aposta: ;Frejat será candidato e vamos ganhar a eleição;. Alberto Fraga (DEM/DF) concorda: ;Foi só um freio de arrumação;.




Reviravoltas

Esta é a terceira eleição seguida em que Jofran Frejat se envolve numa reviravolta na campanha. Nem sempre por sua causa. Em 2010, ele era vice de Joaquim Roriz quando o ex-governador foi barrado pela Lei da Ficha Limpa e foi substituído na chapa pela mulher, Weslian Roriz. Em 2014, Frejat era o vice na chapa de José Roberto Arruda, também impedido por inelegibilidade, e acabou substituindo o ex-governador, tendo Flávia Arruda como o segundo nome na chapa. Agora, Frejat cogita desistir e não apoiar ninguém.



Aquele abraço

O deputado Chico Leite (Rede) fez aniversário na última quinta-feira com uma comemoração na AABB. Reuniu amigos e apoiadores de sua campanha ao Senado. O governador Rodrigo Rollemberg (PSB) foi dar um abraço.



As opções da Rede

A Rede vai se reunir amanhã para deliberar sobre qual caminho seguir nas eleições. Ho

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação