Questão de resistência

Questão de resistência

Conheça os 12 artistas selecionados para o Transborda Brasília - Prêmio de Arte Contemporânea 2018. A exposição fica em cartaz na Galeria Acervo até 9 de outubro

postado em 08/08/2018 00:00
 (foto: Arquivo pessoal)
(foto: Arquivo pessoal)

;Sou a primeira pessoa trans a passar pelo Transborda e isso é muito importante para mim;
Kabe Rodríguez




Kabe Rodríguez,
26 anos, instalação e performance

Integrante do Coletivo Desculpinha e do grupo Curadoria Curadoria, Kabe Rodríguez também é travesti e trabalha como babá-curadora-artista-pesquisadora.

É aluna de mestrado do departamento de artes visuais da Universidade de Brasília (UnB) e trabalha em pesquisa na linha de métodos e processos em arte contemporânea.

Diálogos diretos com táticas cotidianas de sobrevivência e resistência e práticas transdisciplinares são seus temas de pesquisa. No Transborda, ela participa com três instalações sonoras.

;Sou a primeira pessoa trans a passar pelo Transborda e isso é muito importante para mim;, diz.

;Eu não imaginaria passar por um edital, são trabalhos que parecem que não, mas são situações conflitantes no cenário político atual.;

A internet, ela conta, sempre foi muito importante na vida, por isso as três instalações têm a rede como suporte e, eventualmente, tema.

;Eu tenho 26 anos, então, em algum momento da minha vida a internet foi muito importante para muitas articulações. Existe um movimento pela internet que busca mais informação pelo espaço digital, e, de certa forma, pode apontar para uma maior democratização da informação;.

Para a artista, que havia participado do Transborda com o Desculpinha, o trabalho coletivo é fundamental. ;É muito importante o trabalho coletivo para mim, mais do que estar presa em um ateliê refletindo sobre o mundo. As coisas do meu cotidiano não são tão distantes do que eu faço;.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação