Raquel Nava, 36 anos, fotografia

Raquel Nava, 36 anos, fotografia

postado em 08/08/2018 00:00
 (foto: Diego Bresani/Divulgação)
(foto: Diego Bresani/Divulgação)

;A série mostra os animais nessa relação entre o meio urbano, o consumo e a domesticidade;
Raquel Nava




Taxidermia, restos biológicos de animais justapostos a materiais industrializados, objetos e fotografias formam o repertório de Raquel Nava, 36 anos, que gosta de explicar que investiga o ciclo da matéria orgânica e inorgânica em relação aos desejos e hábitos culturais.

Referências a órgãos e organismos são comuns em seus objetos e fotografias, sempre marcados por uma variação cromática especial, quase a mesma utilizada em sua pintura.

A utilização de técnicas e materiais muito variados torna a produção de Raquel bastante diversa. No Transborda, ela apresenta cinco obras da série Paleta, inspirada numa paleta de pintura.

As cores rosa, prateado e branco predominam na série que faz parte de uma pesquisa realizada na clínica veterinária da UnB. ;A série mostra os animais nessa relação entre o meio urbano, o consumo e a domesticidade. É pensar como esses bichos são transformados, são desfigurados, como no caso do bloco de presunto. É uma relação meio disruptiva;, avisa a artista.

Ela admite que produziu um trabalho com muito apelo visual. ;Tem uma pegada que, às vezes, vai mais para o grotesco, é um trabalho que lida com o belo;, explica, ao apontar uma certa renovação na seleção do Transborda.

;Tive a impressão de serem trabalhos mais experimentais, de pesquisa. É importante frisar que o Transborda valoriza o trabalho da região e espero que ele seja cada vez mais recorrente, acho que vai ganhar mais força com isso;.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação