Murillo Mendes, herdeiro da Mendes Jr.

Murillo Mendes, herdeiro da Mendes Jr.

Marta Vieira Marcílio de Moraes
postado em 20/08/2018 00:00
 (foto: Eustaquio Soares/Estado de Minas - 6/10/04)
(foto: Eustaquio Soares/Estado de Minas - 6/10/04)


Morreu na madrugada de ontem, aos 93 anos, o empreiteiro Jesus Murillo Valle Mendes, filho do fundador da Construtora Mendes Junior, José Mendes Júnior, criada em 1953. Sediada em Belo Horizonte, a companhia foi pioneira na internacionalização das empresas brasileiras do setor durante o chamado período do milagre econômico, nos anos 1970, período da ditadura militar.

Murillo Mendes estava à frente da corporação até um ano atrás, quando, por decisão da família, se afastou do comando diário, mas sem perder a influência e a presença na definição dos rumos da empresa. Segundo amigos próximos, ele foi vítima de infarto e a família se despediu dele numa cerimônia íntima, da qual teriam participado apenas as duas filhas e os netos, seguida do enterro na capital mineira. Ele havia perdido a mulher, Lúcia Mendes, há dois meses. Recentemente, viu o juiz federal Sérgio Moro decretar a prisão do sobrinho e vice-presidente da Mendes Junior Trading e Engenharia S.A, Sérgio Cunha Mendes, pela condenação a 27 anos e dois meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa. Sérgio Mendes era considerado como sucessor natural de Murillo Mendes dentro da construtora. Moro determinou ainda a prisão de outros dois diretores da Mendes, Rogério Cunha Oliveira e Alberto Elísio Vilaça Gomes.

A morte de Murillo Mendes, para o advogado José Murilo Procópio de Carvalho, responsável pelo plano de recuperação judicial da Mendes Junior, representa o fim ;de uma reserva da intelectualidade de Minas, do empreendedorismo e da moralidade no estado;. O espírito do engenheiro nascido em Montes Claros, em 1925, transparece na afirmação dada no aniversário de 60 anos da construtora, em 2012. ;A receita é ter coragem para enfrentar as coisas. É como um bolo, quanto mais você toma porrada, mais você cresce;, afirmou. ;Eu sempre procurei ter um espírito crítico;, acrescentou à época.

Recuperação judicial
Aprovado em abril deste ano, o processo de recuperação judicial da empreiteira acusada de envolvimento nos esquemas de corrupção investigados pela Operação Lava-Jato foi suspenso no começo de junho por decisão liminar do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Agravo de instrumento apresentado pelo Bradesco S/A e o Bradesco Cartões S/A, e acatado pelo desembargador Kildare Carvalho, questionou alguns pontos da proposta da empresa já homologada.

Em assembleia, os representantes dos 3.300 credores da Mendes Junior Trading e Engenharia aprovaram o plano de recuperação judicial em abril, incluindo a negociação de uma dívida total estimada ao redor de R$ 400 milhões. As indenizações trabalhistas a 1.895 ex-empregados somam cerca de R$ 36,6 milhões. Os outros R$ 735 milhões são créditos contratados junto a grandes credores, instituições financeiras e fornecedores, a exemplo da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

O empresário protagonizou uma verdadeira batalha jurídica contra a União, ao cobrar indenização bilionária, no fim dos anos 1990, pelo suposto atraso de pagamentos referentes a obras contratadas pela Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf). Antes disso, a companhia havia também recorrido aos tribunais contra o Banco do Brasil (BB) em razão de prejuízos que a empresa sofreu na execução de obras no Iraque, cujos pagamentos foram afetados depois da Guerra do Golfo.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação