Cerco aos corruptos

Cerco aos corruptos

postado em 24/08/2018 00:00
Na madrugada de ontem, depois de autorizar a revista nas casas de Cristina Kirchner, o Senado argentino aprovou um projeto que prevê a desapropriação, pela Justiça, de bens originários de atividades ilícitas ou usados para elas. O projeto, que passou dois anos engavetado, ganhou impulso com o escândalo das ;cadernetas da propina;, que motivou a investida judicial contra a ex-presidente e atual senadora.

A proposta, que cria a figura da ;extinção de domínio;, tinha sido aprovada na Câmara dos Deputados em 2016, por incentivo da bancada leal ao presidente Mauricio Macri, sob o lema de ;recuperar o que foi roubado;. Foi uma resposta a denúncias de corrupção envolvendo funcionários dos governos de Néstor e Cristina Kirchner (2007-2015). Antes de seguir para a sanção de Macri, o projeto passará por nova votação na Câmara.

Durante reunião com ministros na Casa Rosada, o presidente comemorou a aprovação da iniciativa, ainda que a matéria seja sujeita a ratificação pelos deputados. ;A estratégia de que não há orçamento foi a base para o roubo e a corrupção;, disse o mandatário, segundo o jornal La Nación, que citou duas testemunhas da reunião. Segundo Macri, o ;roubo; do período Kirchner teria somado US$ 200 bilhões, contando operações realizadas ;com o objetivo de roubar; o Estado.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação