Festa de amor ao próximo

Festa de amor ao próximo

A 12ª edição do Feijão Solidário reúne pessoas e empresas preocupadas com o próximo. Na festa deste ano, muita música e feijoada assinada pelo chef Nilson Favacho

» JÉSSICA EUFRÁSIO
postado em 30/08/2018 00:00
 (foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 21/10/17)
(foto: Ed Alves/CB/D.A Press - 21/10/17)

Fim de semana, música animada e boa comida em clima de descontração em um espaço amplo e confortável. O cenário não agrada apenas aos sentidos. Ele será palco de uma tarde para promover a solidariedade. No próximo sábado, ocorrerá a 12; edição do Feijão Solidário, evento beneficente em prol de crianças de até 6 anos de oito creches e de idosos de um abrigo do Distrito Federal. O encontro faz parte das ações de captação de recursos do Programa Correio Braziliense Solidário, criado há 15 anos. Em todo esse tempo, mais de 30 instituições sociais sem fins lucrativos foram favorecidas pela iniciativa, que também alcançou mais de 50 mil crianças desde 2003.

As ações do programa são viabilizadas graças ao apoio de empresas, da sociedade brasiliense e dos eventos anuais em benefício das entidades atendidas. E cada um deles é pensado em detalhes para agradar os participantes. No caso do Feijão Solidário de 2018, o prato principal do evento, uma feijoada completa, será assinado pelo famoso chef Nilson Favacho, e a música, ao vivo, contará com clássicos do samba e do pagode interpretados pelo grupo Liberdade de Sonhar.


A iniciativa do Correio Solidário surgiu com a interface de conectar quem quer fazer o bem a quem precisa de ajuda. O destino dos recursos arrecadados é direcionado à infraestrutura das instituições atendidas. Para a diretora-geral da associação Mãe dos Homens, Patrícia Almeida, o programa tem ajudado principalmente na manutenção das atividades na creche. A entidade recebe, diariamente, 157 crianças de 2 a 4 anos. Elas passam 10 horas no local, de segunda a sexta-feira. ;A instituição existe há 22 anos. Oferecemos atividades pedagógicas, cuidados básicos e cinco refeições diárias às crianças. Todas são moradoras de Samambaia Norte;, explica Patrícia.

Para ela, o investimento em infraestrutura conta bastante para a entidade. ;Em geral, as pessoas doam alimentos, materiais didáticos, porque é o que elas podem. Mas o programa ajuda garantindo uma estrutura de qualidade, porque é do que as crianças também precisam;, complementa. A diretora-geral conta que, agora, tenta firmar parcerias com universidades para garantir atendimento psicopedagógico e fonoaudiológico. ;O desenvolvimento da fala tem muito impacto no aprendizado da leitura e da escrita. Se pudermos ajudar as crianças nessa fase, será um ganho.;


Engajamento
O Programa Correio Braziliense Solidário surgiu em 2003, inspirado por uma iniciativa adotada no jornal O Estado de Minas há 55 anos. Lá, o projeto nasceu com foco na doação a creches em época de Natal. Depois, as ações sociais passaram a ocorrer ao longo do ano. Em Brasília, desde que foi adotado no Correio Braziliense, diversos eventos beneficentes foram criados, como o Arraial Solidário, a Noite Solidária e o Desfile Solidário, para promover a captação de recursos. Pessoas físicas e jurídicas também se engajaram e, por meio do programa, contribuíram com as instituições apoiando os eventos ou efetuando doações espontâneas.

A presidente do programa, Nazareth Teixeira da Costa, explica que o intuito da criação do programa foi amenizar a situação de muitas das instituições sociais das duas cidades. Ela acrescenta que observava problemas principalmente na parte estrutural das instituições. ;O objetivo era promover melhorias nas creches. A infraestrutura de muitas delas não ajudava. Algumas não tinham brinquedoteca, banheiros separados, cozinha bem equipada. Fomos adaptando e preenchendo lacunas;, comenta.

Segundo Nazareth, os eventos beneficentes se tornaram conhecidos em Brasília e reúnem cada vez mais participantes. ;Sempre promovemos encontros de bom nível, com boas bebidas e uma excelente feijoada. Neste ano, não tivemos a festa junina por causa da Copa do Mundo, mas as pessoas costumam esperar as datas com ansiedade. A população nunca deixa de comparecer e está sempre nos ajudando;, observa a idealizadora do Correio Solidário.

Quem conta com a ajuda do projeto sabe da importância da colaboração de integrantes da sociedade civil e de empresas, mas reconhece que o apoio governamental é imprescindível para a continuidade dos serviços prestados. ;Mantemos a creche porque temos professores e monitores em convênio com a Secretaria de Educação. A pasta fornece subsídios para pagamento dos funcionários, alimentação e materiais de higiene;, relata a presidente da Creche Pioneira da Vila Planalto, Wanda Clementina Corso.

Em funcionamento desde 1993, a instituição atende a 193 crianças de 1 a 4 anos. As atividades também incluem cinco refeições diárias, além de atividades pedagógicas. Com a ajuda do programa, a entidade consegue manter uma estrutura que acolhe, de forma apropriada, as crianças que frequentam o espaço. ;Fico muito agradecida por tudo que o Correio Solidário tem realizado até hoje. Há muitos anos o programa tem nos ajudado;, completa Wanda.



Feijão Solidário

Evento faz parte do Programa Correio Braziliense Solidário, criado para conectar entidades sociais a interessados
em fazer o bem.

Data: Sábado, 1; de setembro
Horário: das 13h às 17h
Local: Minas Hall ; Setor de Clubes Esportivos Norte
(SCEN), Trecho 3
Ingressos limitados. Censura livre
Informações: 3214-1401

Creche Nossa Senhora Mãe dos Homens / Marcelo Ferreira




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação