Notas

Notas

postado em 30/08/2018 00:00
; INCÊNDIO NA 110 NORTE
LAUDO FICA PRONTO
O laudo pericial sobre o incêndio que atingiu o edifício da 110 Norte em 14 de maio deste ano não apontou o que gerou as chamas que consumiram a cobertura do apartamento 603 do Edifício Via Aldeota. A dificuldade em detectar as causas ocorre, segundo o Corpo de Bombeiros, por conta do nível de destruição do quarto onde começou o fogo, ocasionando uma ignição generalizada. ;Quando ocorre a ignição generalizada, o objeto ou o material responsável pelo início das chamas também entra em completa combustão. Ou seja, toda a área é inteiramente destruída. Por isso, nesses casos de incêndio, dificilmente conseguimos delimitar a causa;, esclarece o capitão Pablo Baigorri, bombeiro militar lotado na Diretoria de Investigação de Incêndio (Dinvi). Segundo a síndica do prédio, a reforma de reestruturação das estruturas comprometidas deve começar nos próximos dias ; à época, houve o escoramento. Tudo será pago pela seguradora. Apenas os moradores do apartamento onde o fogo começou ainda não puderam voltar a viver no local.

; SÃO SEBASTIÃO
PRESOS POR GRILAGEM
A Delegacia Especial de Proteção ao Meio Ambiente e à Ordem Urbanística (Dema) deflagrou, ontem, a Operação Terra Legal, para coibir o crime de parcelamento irregular de solo para fins urbanos, na Chácara 58, de São Sebastião. Foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão contra suspeitos de praticar o crime. A partir de uma denúncia da Secretaria de Agricultura, que observou movimentos de ocupações irregulares na região, foi dado início às investigações. Em um dos locais alvo da operação foram encontradas várias cessões de direito, notas promissórias e faixas de anúncios de lotes referentes à região do Capão Cumprido, em São Sebastião. De acordo com a Polícia Civil, os documentos demonstram a normalidade com que os anúncios e vendas ilegais eram feitos. Além de responderem pelo crime de loteamento irregular de terras, os suspeitos serão indiciados por danos ao meio ambiente. ;Houve seríssimos riscos a essa região, que está inserida na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio São Bartolomeu;, disse a delegada-chefe da Dema, Marilisa Gomes.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação