Alegria convertida em solidariedade

Alegria convertida em solidariedade

Projeto social de arrecadação conta com o apoio de figuras importantes da capital para mudar a vida de mais de duas mil crianças carentes

postado em 02/09/2018 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press










)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press )


Feijoada, arroz de alho, farofa, vinagrete, mandioca, linguicinha, costela e abacaxi empanado. Esse foi o banquete servido na 12; edição do Feijão Solidário, evento beneficente do Correio Braziliense que tem por objetivo arrecadar fundos para estruturação e suprimentos de creches e asilos do Distrito Federal. O projeto faz parte do Correio Solidário, programa de eventos de arrecadação que está comemorando 15 anos de existência. A feijoada, juntamente com um arraial, um desfile e uma noite solidária, beneficia nove instituições, melhorando a vida de 70 idosos e mais de 2 mil crianças. Cerca de 600 pessoas estiveram presentes para desfrutar de um almoço gostoso, reencontrar amigos e aproveitar uma tarde alegre de boas ações.

A presidente do programa, Nazaré Teixeira da Costa, 72 anos, revela que é envolvida com causas sociais desde antes de se mudar para Brasília. ;Eu o trouxe de Belo Horizonte, na verdade já são 55 anos de atividade;, conta. ;Antigamente, era apenas um projeto de arrecadação de Natal, mas nessa época todo mundo se solidariza. E as pessoas precisam de ajuda o ano inteiro. Então, começamos a realizar vários eventos ao longo do ano;, completa. Nazaré faz visitas regulares a creches e asilos para verificar as necessidades mais urgentes e, assim, distribuir a ajuda da melhor forma possível. ;Precisa reformar um banheiro? Construir uma biblioteca? Suprir material escolar? A gente faz um pouquinho em cada lugar;, explica.

Segundo a presidente, o apoio do jornal foi fundamental para a execução do programa. ;Quando eu cheguei, não conhecia quase ninguém em Brasília e, sem o apoio da sociedade, nada vai para a frente. E logo o Correio estendeu a mão para mim e me ofereceu todo o suporte, sem contar que a credibilidade do veículo foi uma garantia de que o dinheiro seria aplicado de maneira correta, o que facilitou a aproximação das pessoas;, revela. Ao final do primeiro ano de atividade, o projeto já estava amplamente conhecido na cidade e com o apoio de grandes empresas locais. ;O Grupo Via sempre aposta em projetos que apliquem os recursos com seriedade, principalmente em prol da comunidade. E o Correio Sustentável faz isso de forma responsável e sustentável a longo prazo. É um privilégio poder fazer parte disso;, afirma Jacques Simbalista, 41, do departamento comercial do Grupo Via Engenharia e Empreendimentos Imobiliários, um dos patrocinadores do projeto.

O Grupo Sabin patrocina e acompanha o evento desde a primeira edição, e Sandra Soares Costa, 65, sócia-fundadora da empresa, acredita que as empresas devem buscar cada vez mais o equilíbrio entre a lucratividade e a transformação social da comunidade que as rodeia. ;Nós precisamos nos juntar e devolver aquilo que recebemos da sociedade. É muito importante, através das nossas ações, concretizar projetos que melhorem a nossa sociedade. Juntos, nós podemos escrever uma nova história para a nossa nação;, explica. ;Se cada um fizer um pouquinho, que seja um simples gesto ou uma colaboração, nós conseguimos fazer muito;, conclui.

O Chef Nilson Favacho, 40, faz a feijoada do evento há nove anos e conta que é sempre gratificante participar dos eventos: ;Ajudar ao próximo sempre vale a pena;. Ele revela também o motivo de a feijoada fazer tanto sucesso entre os presentes: ;O toque especial é carinho, tudo que é feito com amor fica mais gostoso;. A cozinha recebe uma ajuda especial dos estudantes de graduação em gastronomia do Instituto de Educação Superior de Brasília (Iesb). Cerca de 40 alunos colaboraram com a produção dos pratos e servindo os convidados. ;É a terceira vez que estamos participando e a experiência é fantástica. Eu acho que cada vez mais empresas deveriam colaborar, e a academia devia participar mais de eventos assim;, conta Sebastian Parasole, 46, chef e coordenador do curso.

;Eu faço de tudo para chamar meus amigos e ajudar a tecer essa rede tão bonita de solidariedade;, afirma Tiago Correia, 33. Ele é padrinho do programa há mais de 10 anos e auxilia na venda de camisetas, distribuição de convites e captação de fornecedores para a realização do evento. ;Essa foi uma das festas mais lindas. A energia de todos os padrinhos e convidados foi contagiante e me deixa muito feliz saber que toda essa alegria vai ser convertida em benefícios e auxílio para tantas pessoas com necessidades;, conta o empresário, emocionado. ;Essas crianças são o nosso futuro, elas têm que ter direito à saúde, educação, cultura e mais alegria na vida;, completa.

A pedagoga Rita Márcia Polidoro Machado, 63, conheceu o projetopor meio de uma matéria no próprio jornal e quis muito participar. Ela vai aos eventos há mais de 10 anos e conta que está cada vez mais motivada a colaborar: ;A solidariedade é muito forte nesse grupo. O comprometimento de todos os envolvidos, as ações realizadas sempre com materiais e profissionais de primeira qualidade, é emocionante ver tudo isso acontecendo e a gratidão no olhar dos beneficiados;, diz. A educadora aproveita o momento para rever amigos, confraternizar e se divertir. ;O evento se supera, sempre, e a cada ano está melhor que o anterior!”, garante.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação