Desafio, para mim, é combustível

Desafio, para mim, é combustível

Em cinco anos, esteticista transformou R$ 500 em R$ 500 mil. Em setembro, a empresa dela completa 10 anos. A falta de recursos, doenças ocupacionais e um câncer foram alguns dos obstáculos ao longo do caminho, mas nada a desanimou

Ana Paula Lisboa
postado em 02/09/2018 00:00
 (foto: Marilia Lima/Esp. CB/D.A Press)
(foto: Marilia Lima/Esp. CB/D.A Press)

A história de Carla Gomes, 40 anos, dona da EBM Estética, localizada em Ceilândia, é marcada por muito esforço e superação. O negócio foi aberto em julho de 2008 e oficializado em setembro do mesmo ano. Na época, ela estava afastada do trabalho como analista de seguros por causa de doenças ocupacionais, no punho e na cervical. Mas ela tirou das dores motivação para empreender na área pela qual sempre foi apaixonada. ;Eu lido com estética desde os 15 anos, fui auxiliar numa clínica dermatológica de forma voluntária. Aos 18, fiz um curso técnico no ramo;, rememora.

Para conseguir pagar uma faculdade de estética foi que Carla começou a trabalhar com seguros. Quando teve os problemas ocupacionais, resolveu empreender. ;As pessoas saíam de Ceilândia para procurarem atendimentos em outras cidades satélites. Então, percebi na carência do mercado uma oportunidade;, diz. Ela teve de lutar contra pressões negativas. ;Diziam que eu estava doida por causa da medicação. Eu tomava remédios fortes, inclusive morfina, para conseguir aguentar a dor. Então, ninguém me legou a sério. Quem me levou a sério fui eu;, explica.

;Pedi R$ 500 para minha mãe para começar a fazer atendimentos de estética, num quartinho na minha casa mesmo;, lembra. Na própria residência, Carla começou a oferecer limpeza de pele, massagem corporal, drenagens. Uma semana depois de começar a trabalhar com isso, o local ficou cheio de clientes. ;Meu marido viu aquilo e disse que não queria chegar em casa e ver esse tanto de mulher. Então, ele me emprestou R$ 200 para que eu encontrasse um espaço para as atividades;, recorda. Com a quantia, Carla alugou uma sala de 25m; em Ceilândia Sul.

Desde o início, o atendimento, explica ela, sempre foi o maior diferencial. Carla cursou estética e administração no Centro Universitário Iesb e marketing na União Educacional de Brasília (Uneb). Assim, usou conhecimentos adquiridos nas três graduações na empresa que, no começo, se chamava Espaço Bela Mulher. Após sete meses de funcionamento, o empreendimento foi transferido para um local de 50m;. ;O faturamento triplicou. Estávamos no auge quando recebi a notícia, no mesmo dia, de que estava grávida e com câncer na tireoide, eram oito tumores malignos. O médico me deu seis meses de vida.;

Virada de vida e carreira

;Fui muito duro, mas não parei de trabalhar;, diz. ;A estética era uma terapia, era o que me fazia esquecer da dor e da doença.; Carla retirou os tumores no quinto mês de gestação. ;Até para a operação, eu fui maquiada porque, se morresse, queria estar bonita. Eu gosto de me sentir bem;, relata. ;Tive que esperar o bebê nascer para começar a radioterapia;, lembra. Mãe de Lucas Silva Alves, 19 anos, e Pedro Paulo Silva Alves, 9, hoje Carla está curada. ;Estou muito bem e recebi alta;, diz.

Ela retirou aprendizados dos momentos de dificuldade. ;Eu melhorei como pessoa, eu me sinto até mais bonita, passei a dar ainda mais valor às coisas. A gente consegue olhar tudo com um novo olhar, se torna mais acurada, e isso impacta a gestão. Eu melhorei e a empresa também.; Há cerca de três anos, Carla rebatizou a empresa, agora denominada EBM Estética. O empreendimento está no terceiro endereço, num espaço de 100m;, seis salas de atendimento, recepção, copa e escritório. ;Oferecemos estética facial e corporal e a parte da medicina estética (preenchimento, botox). Temos um biomédico.; No total, são três trabalhadores parceiros e dois colaboradores. A maior parte dos atendimentos são feitos pessoalmente por Carla. ;Minha agenda está sempre cheia e todas querem ser atendidas por mim. Dizem que não sou só esteticista, sou também psicóloga, porque deixo a autoestima delas lá em cima.;

Os planos para a companhia são grandes: Carla está passando por uma consultoria para transformar a marca em franquia. ;Já temos propostas para quatro franquias;, comemora. Só que, para isso, ela precisará se afastar um pouco do atendimento e se ocupar mais da gestão. Atualmente, Carla e a equipe atendem cerca de 150 pessoas por mês. Tem até clientela fora do país. Uma inovação da instituição é um plano de estética. ;A pessoa paga a partir de R$ 280 por mês e pode fazer vários serviços. Tivemos adesão, até agora, de 50 pessoas;, diz. O faturamento bruto da pequena empresa chega a R$ 20 mil por mês.

Reconhecimento
Ao longo de 10 anos, os resultados da empresa de Carla cresceram muito. Tanto que ela está escrevendo um livro chamado E se R$ 500 virassem meio milhão?. ;Pois foi o que consegui fazer em cinco anos. O dinheiro que peguei emprestado com minha mãe rendeu tudo isso nos cinco primeiros anos;, diz. A obra recebeu oferta de duas editoras e deve chegar ao mercado até o fim do ano. A trajetória de sucesso foi reconhecida em dois prêmios do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae): o Mulher de Negócios e o MPE Brasil (Prêmio de Competitividade para Micro e Pequenas Empresas). Desafios como doenças e falta de recursos foram superados com muita perseverança. ;Aprendi que você pode tornar o impossível possível.;

Saiba mais

; www.ebmestetica.com.br; 3377-4939 / 98552-9469
; Ceilândia Sul, QNN 22, Conjunto P, Lote 28 A, Sala 102
(Avenida da Fundação Bradesco)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação