Blitz para fiscalizar os fretes

Blitz para fiscalizar os fretes

ANTT desencadeia operação em portos para verificar se empresas respeitam tabela. Meta é evitar nova greve de caminhoneiros

postado em 09/09/2018 00:00

Santos (SP) ; A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) iniciou ontem no Ecopátio, em Cubatão (SP), local onde os motoristas aguardam a liberação da entrada no Porto de Santos, uma grande fiscalização. O objetivo é averiguar se as empresas estão respeitando a tabela mínima aos motoristas, além do vale-pedágio e do pagamento eletrônico do frete. A blitz foi a estratégia do governo para rebater as ameaças de uma nova greve que estaria sendo articulada pelos caminhoneiros.

Logo pela manhã, caminhoneiros em Cubatão denunciavam irregularidades por empresas responsáveis pelo transporte de grãos e adubo. Muitos deles disseram que recebem valores abaixo da tabela mínima de frete e estavam mobilizando os colegas por grupos de WhatsApp para que denunciassem as irregularidades.

;Eu recebo 30% a menos da tabela em todos os fretes. Espero que essa fiscalização funcione de fato, pois é a primeira vez que vejo eles fazendo isso;, disse o caminhoneiro Ademir Pereira Junior, ressaltando que foi um dos líderes das paralisações no Mato Grosso, durante a greve em maio.

Trabalhando como caminhoneiro por 23 anos, Adriano Maqui afirmou que as transportadoras não cumprem o acordo fechado entre os produtores e caminhoneiros. ;As usinas, por exemplo, pagam o frete para a transportadora e estas não repassam o dinheiro todo para os motoristas. A gente acerta o preço do frete, mas eles pagam menos.; Maqui ainda relatou que muitas empresas não cumprem o pagamento do frete de retorno.

A fiscalização aconteceu também nos portos de Paranaguá (PR), Itajaí (SC), Santana do Livramento (RS) e Rio Grande (RS) e vai até segunda-feira. Em balanço divulgado no início da noite, a ANTT informou que, de 101 veículos fiscalizados, 31 não respeitavam a tabela de frete mínimo.

A fiscalização tornou-se viável depois de o governo publicar, na última quinta-feira, uma norma para dar embasamento jurídico à atuação dos fiscais da ANTT. ;Antes, não tínhamos como combater o infrator. Todo caminhoneiro que tiver recebido fora do valor mínimo será indenizado com o dobro do valor devido;, disse Dalton de Campos Mello Filho, coordenador de fiscalização da ANTT.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação