Dólar é o mais alto desde o Plano Real

Dólar é o mais alto desde o Plano Real

» GABRIEL PONTE*
postado em 14/09/2018 00:00
 (foto: Marcos Santos/USP Imagens - 10/3/15)
(foto: Marcos Santos/USP Imagens - 10/3/15)


O dólar atingiu ontem a máxima histórica de fechamento desde o Plano Real, em 1994, cotado, a R$ 4,192 para venda, com alta de 1,13%. O recorde anterior, de janeiro de 2016, era de R$ 4,166. O mercado teve mais um dia agitado, repercutindo os cenários interno e externo. Na máxima da sessão, a moeda chegou a R$ 4,20. O Ibovespa, principal índice da Bolsa de Valores de São Paulo (B3), recuou 0,58%, para 74.687 pontos.

A incerteza eleitoral no país, que tem balizado as cotações da divisa, ganhou intensidade com a notícia de que o candidato do PSL, Jair Bolsonaro, foi submetido a uma cirurgia de urgência, na noite de ontem, o que coloca em dúvida a presença dele no restante da campanha política. Além disso, a possibilidade de o candidato do PT, Fernando Haddad, chegar ao segundo turno, não está descartada, o que mantém os investidores apreensivos.

No cenário externo, o aumento dos juros na Turquia e a elevada inflação de agosto, na Argentina, chamou a atenção para os países emergentes. ;A bolsa chegou a ensaiar um crescimento, que logo cessou. No mercado de câmbio, boa parte da depreciação do real vem do cenário interno, com a incerteza das eleições. Mas, o fluxo cambial foi muito negativo em agosto. Isso sugere que os movimentos de curto prazo não têm força para valorizar o real;, explicou Fernanda Consorte, estrategista de Câmbio do Banco Ourinvest.

Na visão de Roberto Indech, analista-chefe da Rico Investimentos, ;nos próximos dias, o mercado vai se concentrar em dois aspectos: a evolução, ou não, de Fernando Haddad, e a situação do candidato Geraldo Alckmin (PSDB), que está atrás na disputa, apesar de já terem decorrido duas semanas de propaganda eleitoral na televisão;, analisou.

Exterior agitado


Na Argentina, o anúncio de que a inflação alcançou 3,9% em agosto, a maior taxa mensal do ano, e acumulou alta de 24,3% em 2018 teve impacto negativo nos negócios. ;O país é o terceiro maior parceiro comercial do Brasil. O aumento da inflação prejudica o crescimento econômico e a relação comercial entre os dois países;, disse Fernanda Consorte.

A decisão do banco central turco de aumentar a taxa básica de juros de 17,75% para 24% ao ano foi vista como necessária. Segundo Fernanda, a medida beneficiou divisas de países emergentes. Das 24 principais moedas de nações em desenvolvimento, o dólar só avançou em relação a três: a rúpia indonésia, o peso argentino e o real. ;A lira turca se valorizou. A alta dos juros foi uma resposta ao difícil cenário do país e à inflação elevada;, disse a economista.

* Estagiário sob supervisão de Odail Figueiredo


  • Bandeira vermelha até o fim do ano

    O diretor-geral do Operador Nacional do Sistema (ONS), Luiz Eduardo Barata, disse ontem que, até o fim do ano, a bandeira vermelha do setor elétrico continuará acionada, mesmo com o início do período chuvoso em novembro, porque seria temerário desligar termelétricas em um momento de escassez hídrica. Barata afastou qualquer tipo de problema de abastecimento de energia elétrica no país, mesmo com a chegada do verão, já que com o acionamento das usinas termelétricas para poupar os reservatórios das hidrelétricas são suficientes para atender à demanda.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação