Varejo recua pelo terceiro mês consecutivo

Varejo recua pelo terceiro mês consecutivo

» HAMILTON FERRARI
postado em 14/09/2018 00:00

Setor que mais empolgou os economistas no início do ano, o varejo começou o segundo semestre enfraquecido. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), as vendas do comércio caíram pelo terceiro mês consecutivo, recuando 0,5% em julho. Com esse resultado, o segmento acumulou perda de 2,3% nos últimos três meses. De acordo com economistas, o setor ainda sofre impactos da greve dos caminhoneiros ; que ocorreu no fim de maio ;, e com a falta de confiança do consumidor na economia.

A projeção dos analistas é de que o comércio tenha um resultado positivo entre 2% e 2,5% em 2018. Tudo dependerá, porém, do cenário eleitoral e da expectativa de criação de empregos. No acumulado do ano, em comparação ao mesmo período de 2017, o setor avançou 2,3%. Em 12 meses, registra alta de 3,2%. O ritmo de vendas, porém, está caindo. A economista Isabela Tavares, analista da Tendências Consultoria, destacou que o consumidor vê um cenário mais incerto por conta das eleições.

;Neste ano, nós teremos o impacto da liberação do PIS-Pasep, que deve ajudar no consumo. Mesmo assim, o efeito esperado não é tão grande como ocorreu com os saques das contas inativas do FGTS, em 2017;, disse Isabela. ;Por isso, o crescimento será modesto e gradual ao longo do ano. Podemos verificar uma melhora na massa de renda geral dos trabalhadores, com possíveis contratações no mercado de trabalho. Mas, tudo dependerá da confiança na economia;, completou.

Newton Rosa, economista-chefe da SulAmérica Investimentos, afirmou que, por conta da baixa expectativa, os empresários deixam de investir, e não criam empregos. ;Não vejo, neste momento, sinais de que o investimento vá ser retomado. Há incerteza quanto as políticas econômicas do próximo governo e uma instabilidade no ambiente doméstico potencializado pelo cenário externo adverso;, avaliou.

Considerando o varejo ampliado ; que inclui o comércio de veículos e material de construção ; o volume de vendas caiu 0,4% em julho, na comparação com junho. No acumulado de 12 meses, passou de 6,7% para 6,5%.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação