Mergulho no lúdico

Mergulho no lúdico

Ronayre Nunes*
postado em 14/09/2018 00:00
 (foto: Divulgação/Studio Sartoryi)
(foto: Divulgação/Studio Sartoryi)
A peça Quando os elefantes saem para passear leva o públicoa uma viagem por um universo lúdico. Sem diálogos, o espetáculo aposta em metáforas da própria existência humana.

;A metáfora do elefante se refere a nós mesmos, de como neste mundo difícil a gente pode ir criando essa casca, uma distância. Mas, ao mesmo tempo, a gente também consegue manter uma ternura interna. O espetáculo é como se fosse um sonho, que, às vezes, não tem palavras, mas tem textura, e nos emociona;, aponta a dramaturga e diretora brasiliense Marcela Hollanda.

No palco, estão os atores Karla Juliana, Marcelo Lucchesi e Renata Cardoso. ;Eu trabalho com uma pauta musical que já ajuda o público a alcançar esses sentimentos propostos. É uma trilha que vai de Bach, até as músicas mais minimalistas, além de toda a iluminação;.

Com experiência de lecionar há mais de 20 anos, essa não é a primeira vez que Marcela aposta em uma peça sem diálogo. ;Parece uma proposta nova, mas está aí há mais de 100 anos. O que está em jogo é o espaço, os elementos da encenação. O teatro existe em milhões de formas, eu não estou inaugurando nada, o que estou fazendo é só ir para um contexto mais teórico, com um gênero híbrido;, afirma.

*Estagiário sob a supervisão de Vinicius Nader

SERVIÇO
Quando os elefantes saem para passear
Teatro Garagem (Sesc 913 Sul). Hoje, às 20h. Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada). Não recomendado para menores de 14 anos.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação