360 graus

360 graus

Jane Godoy %u2022 janegodoy.df@dabr.com.br
postado em 21/09/2018 00:00
 (foto: Arquivo Pessoal)
(foto: Arquivo Pessoal)

O riso que cura
madre tereza de Calcutá nos conta a experiência que teve com uma criança que resgatou das ruas e, vendo-a com muita fome, ofereceu-lhe um pedaço de pão. Ao vê-la comendo migalha por migalha, quando achava que ela iria devorar aquele pão em segundos, se espantou quando a menina disse a ela que comia devagar porque tinha medo de que, quando aquele pão acabasse, ela não tivesse mais e a fome voltaria.

Então, pensando nisso, Madre Tereza nos mostra a realidade da vida e nos ensina que, talvez não estejamos com fome de um pedaço de pão, mas de alguém que seja carente de amor, de alegria, de cuidados. É isso que um grupo de jovens de Brasília sabe fazer muito bem:oferecer alegria, vontade de viver, trazendo a certeza de que a vida está aí para ser vivida e por ela devem lutar.

O brasiliense Rômulo Santos Rodrigues, estudante de administração e motorista de aplicativo, espera o dia de poder trabalhar com a profissão que escolheu. Sensível aos problemas das crianças que por vários motivos de saúde precisam se afastar das famílias, ele foi convidado para ser voluntário da Abrace e, com o grupo Pronto-Sorriso, criado pela psicóloga Márcia Ico, passou a atuar, ;até o término desse grupo;.

Pronto-sorriso
Rômulo conta que, em 1997, convidado pelo amigo Wellington, o Dr. Confarra, ;apenas aceitei o convite, mas não mensurava o tamanho desse trabalho. Naquela época eu não sabia porque aceitei. Hoje eu sei muito bem porque permaneci nele; filosofa. ;Quando cheguei, já estava tudo pronto. A Márcia Ico já havia feito tudo. Da criação só me restou o nome daquela turma, que se chamava Pronto-Sorriso. A notícia se espalhou e ficamos conhecidos durante um tempo, fazendo com que muitos se interessassem em participar. Queríamos mais participantes, pois achamos que o número de voluntários era pouco. Abrimos, então, uma oficina. A sala lotou de interessados. Na segunda turma foi a mesma coisa.Sempre preenchemos todas as vagas!”, alegra-se.

Hoje, são 29 participantes do grupo, ;completamente voluntários, pois não recebemos um centavo para executar esse trabalho. Tudo é feito com muita precaução, cuidados. Hoje atuamos somente no Hospital da Criança de Brasília José Alencar;, informa. Esse cuidado todo abrange grande parcela de coerência em tudo o que falam, mesmo atuando e buscando esvaziar a mente para jogar, o tempo todo, no improviso.

Emoções
Muitas emoções passam pelos olhos e pelo coração de cada uma das crianças, ao longo de cada brincadeira, de cada atuação junto a um grupinho de crianças. Pedi que me contassem como administram essas situações. Rômulo conta que ;Renata foi uma criança do sorriso mais doce que eu pude ver, mesmo com a enfermidade dela muito grave. Ela não perdeu o seu lindo sorriso, apesar de tudo. Até hoje foi algo que marcou muito a todos nós! Acredito que é o meu maior sonho continuar fazendo esse trabalho, que tem sido meu maior prazer! Sou o Dr. Ultra com muito orgulho !!”

1997
Ano em que surgiu o primeiro grupo, Pronto-sorriso

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação