Pé na estrada atrás dos indecisos

Pé na estrada atrás dos indecisos

» MURILO FAGUNDES*
postado em 02/10/2018 00:00
 (foto: Ciete Silvério/Divulgação)
(foto: Ciete Silvério/Divulgação)


A menos de uma semana da abertura das urnas, os candidatos à Presidência da República correm pelo Brasil atrás dos votos dos últimos indecidos. Centrados na região Sudeste, como ocorreu durante todo o período eleitoral, os demais postulantes atacaram ontem, em uma espécie de vale-tudo, os oponentes mais bem posicionados, Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT. Além disso, mesmo que de forma improvável, aproveitaram, como fez o tucano Geraldo Alckmin, para defender que ;a eleição está em aberto;.

O ex-governador de São Paulo caminhou pelo centro de Campinas, no interior do estado, e seguiu à tarde para Florianópolis (SC). Ciro Gomes, do PDT, visitou Suzano, também em São Paulo. Em dia conturbado pela divulgação de parte da delação do ex-ministro Antonio Palocci, Haddad visitou pela quarta vez o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em Curitiba. Acompanhado do candidato petista ao governo do Paraná, Doutor Rosinha, e da presidente da legenda, Gleisi Hoffmann, o ex-prefeito de São Paulo criticou a decisão do ministro Luiz Fux de proibir que Lula conceda entrevistas à imprensa, e voltou a comentar a proposta de convocar uma Constituinte exclusiva, caso eleito. Depois, cumpriu agenda no Rio de Janeiro com apoiadores.

;Na verdade, a preocupação é de que o Congresso tenha uma agenda de reformas constitucionais importantes e que escolha o caminho mais adequado para fazê-las;, afirmou o petista. Para Haddad, esse mecanismo criaria ;segurança jurídica; e ;um ambiente de negócios favorável ao crescimento;. ;O nosso propósito é promover as reformas constitucionais, com a mudança no regime tributário, (...) uma reforma do sistema bancário, (...) a questão dos regimes próprios. Muitos estados e municípios estão quebrados;, argumentou.

De olho nos indecisos e nos votos úteis, já mirando o segundo turno, o candidato do PT aproveita os momentos finais da campanha eleitoral para tentar conquistar eleitores do interior de São Paulo e do Rio de Janeiro, além dos votos da capital mineira, Belo Horizonte. Nessas localidades, segundo o Datafolha, ele perderia para o capitão reformado em um possível confronto de segundo turno.

As opções de terceira via à esquerda, Ciro Gomes, e à direita, Geraldo Alckmin, direcionaram duras críticas ao PT e ao candidato do PSL nos atos políticos dos quais participaram. Recém-operado, o pedetista mostrou otimismo com a saúde e cutucou Bolsonaro, que mantém repouso em casa, no Rio de Janeiro, sem cumprir compromissos de campanha. Quanto às estratégias para os últimos dias, Ciro recorreu ao discurso da promoção de empregos e melhoria da educação. ;A mensagem que eu quero passar, nesta última semana, é a do emprego para os pais e da educação de qualidade para os filhos.;

Repouso

Jair Bolsonaro passou a segunda-feira em casa e manteve repouso e dieta, conforme recomendação médica. O deputado federal, que continua praticando fisioterapia, exercícios respiratórios e caminhadas, recebeu alta no último sábado, depois de ter ficado internado por mais de 20 dias no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ele não participou dos últimos três debates e, a depender da recuperação, poderá participar do próximo e derradeiro confronto, que será transmitido nesta quinta-feira pela Rede Globo.

* Estagiário sob a supervisão
de Silvio Queiroz

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação