Sr. Redator

Sr. Redator

Cartas ao Sr. Redator devem ter no máximo 10 linhas e incluir nome e endereço completo, fotocópia de identidade e telefone para contato. E-mail: sredat.df@dabr.com.br

postado em 02/10/2018 00:00
Eleição
Estamos perdidos. Votando no insignificante radical, elegeremos um poste novamente, mostram, sem qualquer dúvida, os números das pesquisas. E já vimos no que dá eleger poste. Para quem não entendeu: votando em Bolsonaro elegeremos o Haddad, poste do PT de Lula. Nem ao menos poderemos contar com outro ;impeachment; ; vocês analisaram a qualidade dos vices? Ainda há tempo para salvarmos o Brasil deste triste futuro.
; Wagner M. Lopes,
Asa Norte


; Em Cochabamba, Bolívia, existe uma avenida que homenageia as mulheres que salvaram seu país da dominação espanhola. Os homens haviam sido dizimados. Trata-se da Avenida de las Heroinas. Chegou a hora de nossas valorosas mulheres salvarem o Brasil de uma ditadura atroz que se aproxima; ou de uma extrema esquerda, que também não deu certo. Engrossem a corrente #NeleNão e acrescentam ;No #PT também não;. O senso de equilíbrio e bom senso devem prevalecer para que não tenhamos de volta os anos de chumbo do regime militar; ou a cubanização da nossa pátria via PT. Mulheres, vocês, com o dom da maternidade, têm também o instinto da preservação da vida. Salvem o Brasil, protejam seus entes queridos de uma tragédia anunciada, mas que não vai se instalar, se Deus quiser, porque vivemos essas duas situações extremas e vimos o rastro de dor que deixaram em nossa pátria.
; Antônio Balsalobre Leiva,
Lago Norte


Nulidades
;De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos do maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto...; (Rui Barbosa). Como o brasileiro não lê, e há perspectiva de reprise de tenebroso filme recente, o momento é oportuno para difundir mensagem como a do famoso jurista brasileiro.
; Arlindo Jerônimo Ferreira,
Asa Norte


Roriz
Agora, aparecem os traidores cheios de lágrimas, pedindo perdão no velório ao cadáver. Mas isso ocorre porque estão próximas às eleições. São lágrimas de crocodilo. Mas as do crocodilo são justificadas, porque assim agem por necessidade ambiental, para controlar a densidade demográfica e matar a fome. Os humanos traidores, para alcançar algum benefício, principalmente, o voto do eleitor de Roriz, são perigosos. Tramam na calada da noite. Não têm doutrina política nem partido estável.
; José Lineu de Freitas,
Asa Sul

; Com a devida vênia, mas eu não tenho essa convicção de que as gestões do ex- governador por Brasília Joaquim Roriz foram essa maravilha para o Distrito Federal. Por quê? Na gestão desse senhor, sem tirar o mérito de um bom administrador nós casos de grandes obras por ele executados, proliferou no Distrito Federal, com as cidades por ele criadas, a distribuição de lotes desenfreada. Tudo contribui para o alto nível da crimalidade que vemos hoje na nossa cidade. Lembro que quando aqui cheguei,em janeiro de 1974, Brasília era uma adolescente pacata e linda. À época, tinha-se o direito de andar a pé pela cidade, a qualquer hora, e não ocorria-se o risco de ser oportunado por bandidos como hoje. Naquela época, graças a Deus, não tinha representações políticas no DF. O que era uma maravilha. Maravilha essa extinta com a Constituição Federal de 1988. Reafirmo que o senhor ex-governante não foi essa maravilha toda para a nossa linda Brasília.
; José Bonifácio R. Sousa,
Cruzeiro Novo


Espetáculo
Adquirimos dois ingressos, (R$ 500 cada, no Setor Prata) na Livepass, para assistir à apresentação do magistral Andrea Bocelli, no Estádio Nacional. A noite tinha tudo para ser perfeita, não fosse um detalhe: colocaram uma peça enorme no campo, situada entre as cadeiras e o palco, encobrindo 55% dele. Ou seja, assistimos a uma apresentação parcial do show, em circunstância de profundo desrespeito às pessoas.
; Milton Córdova Júnior,
Vicente Pires

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação