Grita geral

Grita geral

grita.df@dabr.com.br (cartas: SIG, Quadra 2, Lote 340 / CEP 70.610-901)

postado em 02/10/2018 00:00

Taguatinga
Falta de ônibus

A estudante e pesquisadora da Universidade de Brasília (UnB) Letícia Christie Olinda do Nascimento, 21 anos, moradora do Setor M Norte, em Taguatinga Norte, reclama da falta de ônibus na região. ;Às vezes para ir para uma universidade particular, no final do Pistão Sul, eu espero quase 40 minutos aqui no terminal da M norte. E para voltar, a situação também é complicada. Dependendo do horário lá no Pistão Sul, demora mais de 1 hora para passar. A sorte é que temos alguns que vem de Santa Maria e Gama aqui para Taguatinga;, afirmou.

; O Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans) afirmou que existem oito linhas que fazem o trajeto entre o Setor M Norte e o Pistão sul. Além disso o usuário pode utilizar o Bilhete Único para fazer a integração em qualquer ponto do DF fazendo 3 viagens em até três horas pagando no máximo R$ 5,00. A autarquia acrescentou ainda que os passageiros podem fazer sugestões de alteração de itinerário e criação de novas linhas através do 162 ou no site da Ouvidoria do DF (ouv.df.gov.br).




Asa Norte
Sensação de insegurança

Marcos Soares Vilanova, 27 anos, reclama da falta de policiamento na 707/907 Norte. Estudante de uma faculdade particular na localidade, ele conta que tem medo de passar pela área depois que escurece. ;É uma região perigosa e me sinto desprotegido, já que não vejo nenhum policiamento. É comum ouvir casos de pessoas que saíram a noite da aula e foram abordas ou até mesmo seguidas por pessoas suspeitas;, relata.

; A Polícia Militar afirmou, por meio de nota, que a segurança não é apenas uma questão de policiamento e envolve questões sociais como distribuição de renda, familiar, educação, crescimento desordenado das cidades e, sobretudo, envolve todo um sistema judiciário. ;A reincidência hoje tem sido nosso principal problema a ser enfrentado. Temos criminosos que possuem o absurdo de 20 a 30 (ou até mais) passagens pela polícia. Esse fator acaba por ocasionar a sensação de insegurança na população e gera um retrabalho para os policiais militares;, apontou o comunicado. Segundo a corporação, as viaturas fazem rondas na região, mas é ;impossível manter uma viatura em todos os lugares e ao mesmo tempo.; A PM pediu que sempre que for verificado a aproximação de pessoas suspeitas, que os policiais sejam acionados rapidamente para que a abordagem seja feita de forma a evitar o cometimento do crime.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação