Ibope confirma polarização

Ibope confirma polarização

» MURILO FAGUNDES*
postado em 04/10/2018 00:00


A pesquisa Ibope divulgada no início da noite de ontem mostrou oscilação discreta dos candidatos à Presidência e confirmou a tendência de um segundo turno entre Jair Bolsonaro, do PSL, e Fernando Haddad, do PT. Os dois, que ganharam um e dois pontos percentuais, respectivamente, afastaram-se de Ciro Gomes, do PDT, e de Geraldo Alckmin, do PSDB, que perderam um ponto, cada um. O levantamento, realizado entre os dias 1; e 2 de outubro, apontou taxas semelhantes de rejeição para os dois líderes. Enquanto 42% dos eleitores afirmaram não votar de jeito nenhum no capitão reformado, 37% disseram o mesmo sobre o candidato petista.

Com 32% das intenções de voto, Jair Bolsonaro permanece nove pontos percentuais à frente de Haddad, que marcou 23%. No segundo pelotão, Ciro Gomes tem 10% e Geraldo Alckmin, do PSDB, 7%. A candidata da Rede, Marina Silva, manteve 4%. Diferentemente do que se especulava, há, segundo o Ibope, poucas chances de definição de vitória do primeiro colocado nas pesquisas em primeiro turno, já que, nos votos válidos ; ou seja, com a exclusão de brancos e nulos ;, Bolsonaro chega a 38% e Haddad, a 28%. Em possível segundo turno, o Ibope aponta empate técnico: Haddad alcança 43% e Bolsonaro, 41%.

Para o cientista político Leandro Gabiati, da Dominium Consultoria, a oscilação positiva de Bolsonaro, embora discreta, não deve ser desconsiderada. ;Ele continua na linha de crescimento e certamente poderá crescer até sábado. A grande pergunta é: a que velocidade? Depende de vários fatores, como informações vazadas por oponentes;, explica. Segundo o especialista, a própria campanha trabalha para ganhar a eleição em primeiro turno. ;O discurso dos apoiadores serve como incentivo para criar uma onda e conquistar os indecisos. Se ele (Bolsonaro) crescer um ponto por dia, chega a 36%, que não é considerável para vencer a eleição. Com a abstenção, os brancos e os nulos em taxas normais, é preciso chegar a 39%;, diz Gabiati. No último pleito, 23% decidiram o voto na última semana.

*Estagiário sob supervisão de Silvio Queiroz


Santinho sem Meirelles

Um dos principais entusiastas da campanha de Henrique Meirelles (MDB) à Presidência da República, o senador Romero Jucá (MDB-RR) tem omitido o nome do presidenciável e o logotipo do próprio partido em alguns dos santinhos de campanha. Jucá é presidente nacional da legenda e foi uma das principais vozes em defesa de uma candidatura presidencial própria, por parte da sigla. Um dos papéis entregues nas ruas do estado mostra, por exemplo, os nomes dos suplentes do senador, mas deixa em branco o campo dos números de candidatos a presidente, governador, senador (2; vaga), deputado estadual e deputado federal.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação