Eixo capital

Eixo capital

helena mader / helenamader.df@dabr.com.br
postado em 04/10/2018 00:00

O ônus de ser líder

Liderar pesquisas eleitorais é motivo de comemoração para os políticos na dianteira das sondagens. Mas estar à frente dos adversários traz como ônus os ataques dos rivais. Desde que assumiu a ponta da corrida pelo Palácio do Buriti, Ibaneis Rocha (MDB) virou o centro das investidas. Não só dos candidatos que ainda sonham com uma vaga no segundo turno, mas também daqueles que não têm mais chance de enfrentá-lo em 28 de outubro. No debate do Correio Braziliense, ontem, os adversários centraram fogo contra o emedebista. Essa tendência ficou ainda mais forte no último bloco do embate, quando assessores receberam os números da última pesquisa Ibope, mostrando uma consolidação de Ibaneis na liderança da briga pelo GDF.



Liderança folgada

De acordo com a pesquisa, Ibaneis Rocha tem 34% das intenções de voto, seguido por Eliana Pedrosa (Pros), que aparece bem atrás, com metade do índice ; 17%. O candidato do MDB subiu de 20% a 34% em apenas seis dias, de acordo com o levantamento. Eliana tinha 21% em 27 de setembro. Rodrigo Rollemberg caiu de 11% para 10%, mas ainda aparece com chances de ir ao segundo turno, assim como Alberto Fraga (DEM), que tem 9%, e Rogério Rosso (PSD), com 8%.



Porta-voz

Foi Alberto Fraga quem deu a notícia sobre a pesquisa a Ibaneis, no intervalo antes do último bloco do debate. ;Já está sabendo que virou governador?;, questionou Fraga, em tom de brincadeira. ;Não é você que diz que não acredita em pesquisa?;, rebateu Ibaneis, sem, contudo, esconder a satisfação com os números.



Ataque aos institutos

Fraga e Rogério Rosso voltaram a atacar os institutos que fazem sondagem de votos. O candidato do PSD repetiu o mantra de que ;7 de outubro será a data da desmoralização dos institutos de pesquisa; e, assim como Fraga, nas considerações finais, pediu que o eleitorado desconsidere os números divulgados sobre a corrida eleitoral.



O grande embate

No primeiro debate realizado pelo Correio, Rosso e Rollemberg protagonizaram a principal queda de braço. Desta vez, o embate mais duro foi entre Ibaneis e Eliana, justamente os dois que lideram as pesquisas. O candidato do MDB foi cobrado por conta de declarações de que construiria, com recursos próprios, casas derrubadas no assentamento 26 de Setembro. Ontem, sete candidatos ao GDF entraram com uma representação contra ele, com alegação de que a declaração representou abuso de poder econômico.



;Podre;

;Quando prometi (doar) salários, ninguém me acusou de comprar votos. Tudo isso é fruto de mentalidade podre dentro da sua campanha;, disparou Ibaneis. ;É crime eleitoral, sim. A lei nos veda de dar R$ 10 na rua, quanto mais construir uma casa;, rebateu Eliana. O emedebista não parou de criticar a principal adversária. ;A senhora caminha com o que há de mais podre;, afirmou Ibaneis, em referência a aliados da ex-deputada. ;Mais podre até do que os que estão no cemitério que a senhora administra;, acrescentou. Rogério Rosso saiu em defesa de Eliana e afirmou que Ibaneis não poderia falar dessa maneira com uma mulher.




Bate-boca nos bastidores

Ibaneis e Eliana estavam sentados lado a lado no estúdio e prosseguiram com o bate-boca, em voz baixa. Estavam muito nervosos. O candidato do MDB afirma que integrantes da campanha de Eliana têm produzido fake news contra ele. Mas, no quarto bloco, antes do desfecho do debate, Ibaneis e Eliana voltaram a conversar baixinho e apertaram as mãos.




Espaço para piadas

Nos intervalos do debate, o clima entre os candidatos era de descontração, mesmo depois de embates incisivos. Miragaya, por exemplo, fez brincadeiras com a fazenda de Fraga. ;Dá para assentar umas 100 mil famílias;, comentou, gerando risadas no estúdio.




Equipe unida

Os principais assessores de Rollemberg têm acompanhado os debates reunidos. Na noite de terça-feira, durante o evento realizado pela Rede Globo, secretários e aliados conferiram a participação de Rollemberg em um restaurante na Asa Norte. O governador se juntou ao grupo, ao final do debate.





Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação