Luxo na trilha

Luxo na trilha

Mercedes-Benz apresenta o novo Classe G na configuração esportiva AMG. O utilitário off-road, da marca alemã está disponível no Brasil

Geison Guedes Especial para o Correio
postado em 04/10/2018 00:00
 (foto: Mercedes-Benz/Divulgação)
(foto: Mercedes-Benz/Divulgação)


Poucos veículos estão preparados para encarar sem medo todos os tipos de terreno, embora sejam inúmeros aqueles denominados fora da estrada. Encarar os desafios de descer ou subir encostas, atravessar riachos, avançar sobre superfície arenosa é para poucos. Destacamos quatro modelos que fazem parte de um pequeno grupo daqueles que podem até subir paredes: o americano Jeep Wrangler, o inglês Land Rover Defender (que infelizmente foi aposentado recentemente), o brasileiríssimo Troller T4, e o alemão Mercedes-Benz Classe G.

Este último, acrescenta um toque de elegância não tão comum aos demais. Porém, a montadora, não satisfeita em fazer um puro-sangue 4x4, incrementou ainda mais gigante, equipando com todo o requinte da marca. Não contente, a alemã decidiu fabricar a versão AMG, na divisão esportiva da montadora. Dessa forma, nasceu o brutamontes G63 AMG. Que, além de ser um legítimo off-road, conta com o surreal motor V8 4.0 de 585 cavalos e insanos 86,6kgfm de torque. O jipão está disponível no Brasil com o valor, também surreal, de R$ 1.049.990.




Quarentão
No ano que vem, o bruto alemão completará 40 anos do seu lançamento. Apresentado ao público em 1979, o modelo sempre chamou a atenção por suas linhas retas e design quase militar, bem no estilo jipe, consagrado pelo eterno Jeep Willys. Nessas quase quatro décadas, o Classe G teve reformulações no desenho, mas sem perder o desenho original. Para a nova versão, não é diferente. O projeto está mais retilíneo e ganhou toques modernos, como faróis inteligentes e lanternas em LED.

O interior não é nada parecido com um modelo puramente fora de estrada. Em uma mistura de clássico com moderno, mantém as linhas retas, mas recheado de tecnologia e luxo. As saídas de ar são redondas no estilo dos faróis. Com couro, fibra de carbono e alumínio, os materiais são de provocar inveja a qualquer modelo de luxo. Mas o grande destaque da cabine é a tela gigante que engloba o painel de instrumentos e a central multimídia. Tecnicamente, são duas peças de 12,5 polegadas cada, que se unem em uma só. Além disso, o interior pode ser em tons claros ou escuros.




Potência
Modelos AMG da Mercedes-Benz são quase sinônimo de veículos envenenados. Com o Classe G não é diferente. O G63 é equipado com um motor V8 4.0 biturbo de impressionantes 585 cavalos e surpreendentes 86,6kgfm de torque, o câmbio é automático de nove marchas. O conjunto mostra que força não faltará para superar os mais diversos obstáculos. Esses números permitem uma aceleração impressionante, mesmo para as mais de duas toneladas de peso (2.485kg). Ele faz de zero a 100km/h em míseros 4,5 segundos, a velocidade máxima é regulada eletronicamente em 220km/h.

Mesmo com um motor gigante como esse, segundo a Mercedes, é possível economizar gasolina. A montadora equipou o V8 com um sistema de desativação de cilindros. Em regime de carga parcial, os cilindros dois, três, cinco e oito são desativados, o que diminui significativamente o consumo de combustível. Quando o motorista seleciona o programa de condução Comfort, o sistema fica disponível em uma ampla faixa de rotações, entre 1.000 e 3.250rpm. Além disso, o conjunto de instrumentos informa ao condutor quando a função está em uso e se o propulsor está operando em regime de carga parcial ou total. A alemã garante que a transição entre a operação com quatro ou oito cilindros é rápida e imperceptível, para que os passageiros não percam o conforto.




Todos os terrenos
Como um legítimo jipe, a função básica do Classe G é a alta capacidade off-road. Por isso, tem o mais perfeito sistema 4x4. Para ter uma ideia, ele conta com três bloqueios de diferencial (central, dianteiro e traseiro). Além disso, agora, a distribuição de torque favorece a parte de trás, com divisão entre os eixos de 40 a 60 por cento. Outro diferencial, é que a reduzida pode ser acionada em movimento, até 40km/h e desativada até 70km/h.

Para auxiliar na superação dos mais diversos obstáculos, o G 63 tem 241mm de altura livre do solo. Isso sem contar a suspensão, que é adaptativa e permite elevar o veículo em até 142mm e diminuir em até 82mm. Além disso, o amortecimento se ajusta de forma automática em cada roda, de acordo com o estilo de condução, superfície da estrada e o ajuste de suspensão selecionado. Segundo a Mercedes, o ponto de operação ideal pode ser modificado a qualquer momento com base em uma ampla variedade de informações relacionadas à aceleração, altura do veículo e velocidade, tudo para otimizar a segurança da direção e o conforto da rodagem.

Outro diferencial do G 63 AMG são os seletores de condução. O sistema de suspensão conta com três: Comfort, Sport e Sport+. São cinco para rodar em vias asfaltadas: Slippery (escorregadio), Comfort, Sport, Sport e Individual, as características variam entre eficiente e confortável a muito esportivo. E três para o fora de estrada: Sand (areia), Trail (trilha) e Rock (pedra). Todos são ativados pela tecla Dynamic Select e são visualizados no conjunto de instrumentos e no display de mídia central.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação