Morto por dois adolescentes

Morto por dois adolescentes

Alegando uma dívida de drogas, rapazes de 14 e 17 anos esfaquearam e puseram fogo na vítima, que não resistiu. É a terceira ocorrência de assassinato com a mesma motivação registrada pela Delegacia da Criança e do Adolescente II em dois meses

» AUGUSTO FERNANDES ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 10/10/2018 00:00
Um homem de 30 anos morreu na madrugada de ontem, após ser esfaqueado por dois adolescentes, em Samambaia. Os rapazes, de 14 e 17 anos, cometeram o homicídio devido a uma dívida de R$ 250 que a vítima tinha por ter comprado drogas com os menores de idade. Após o crime, os jovens enrolaram o homem em um colchão e o levaram de carroça para um matagal às margens da DF-180, onde atearam fogo no corpo.

Antes de entrarem no matagal, os adolescentes passaram por uma equipe da Polícia Militar que fazia blitz na rodovia e ainda cumprimentaram os agentes da corporação. Um dos policiais, no entanto, suspeitou do comportamento dos jovens e, minutos depois que eles cometeram a barbárie, encontrou a vítima completamente carbonizada. No local, também estavam a carroça e o facão usado pela dupla.

O militar lembrou-se do rosto do adolescente de 14 anos, e ao pesquisar em um sistema eletrônico da polícia, descobriu onde ele morava. Ao ser abordado pelos policiais, o garoto confessou o crime. Segundo ele, a vítima era um morador de rua e tinha de pagar a dívida até segunda-feira. Contudo, o homem não cumpriu o prazo e, por isso, os dois decidiram matá-lo.

Reincidência
O adolescente levou os policiais à casa do colega. De lá, os dois foram encaminhados para a Delegacia da Criança e do Adolescente II (Taguatinga) e autuados em flagrante por ato infracional análogo aos crimes de homicídio qualificado e de ocultação de cadáver. Ambos tinham sido apreendidos anteriormente: o de 14 anos por furto e tráfico de drogas, e o de 17, por receptação.

O delegado Juvenal de Oliveira, chefe da DCA II, disse que, após passarem por audiência de custódia no Núcleo de Apoio ao Atendimento Integrado Judicial ao Adolescente em Conflito com a Lei, os adolescentes cumprirão medidas socioeducativas em unidades de internação do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT) por, no mínimo, seis meses.

Identificação
Devido ao grau de carbonização do corpo da vítima, sua identidade só foi conhecida após perícia do Instituto de Medicina Legal (IML). De acordo com os peritos, o homem chamava-se Luís Carlos dos Santos e trabalhava como cabeleireiro. No entanto, ele era conhecido pelo apelido de Maranhão, pois nasceu na capital do estado nordestino, São Luís.

Essa foi a terceira ocorrência de assassinato em função de acerto de contas por dívida relacionada ao tráfico de drogas que a DCA II atendeu, desde agosto. Os outros delitos aconteceram no Guará e em Taguatinga. ;Nos dois casos, os autores dos crimes também eram menores de idade e incendiaram o corpo das vítimas. É algo que nos preocupa. Mas, infelizmente, o usuário de drogas corre esse risco;, alertou Juvenal de Oliveira.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação