Estudo reforça má distribuição de renda

Estudo reforça má distribuição de renda

INGRID SOARES ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 18/10/2018 00:00



No dia Dia Internacional da Erradicação da Pobreza, comemorado ontem, o Banco Mundial divulgou o estudo ;Montando o Quebra-Cabeça da Pobreza;. O levantamento mostra que, embora menos pessoas vivam em situação de pobreza extrema, quase metade da população mundial, cerca de 3,4 bilhões de pessoas, ainda luta para conseguir suprir as necessidades básicas.

A má distribuição de riquezas é apontada como um dos maiores problemas. Nos países de renda média-baixa, a população vive com menos de R$ 12 por dia (cerca de R$ 360 mensais). Em países de renda média-alta, o valor é de R$ 20,45 (cerca de R$ 613 mensais).

Na América Latina, o levantamento aponta que a pobreza está ligada a outros aspectos, como a falta de acesso à água potável, saneamento adequado ou eletricidade e mostra que a região teve menos prosperidade compartilhada, de 2010 a 2015, do que nos anos anteriores.

Em 2015, a região tinha quase 11% da população com renda inferior a US$ 3,20 por dia (menos de R$ 12) e mais de 26% com renda inferior a US$ 5,50 por dia (R$ 20,28). O Banco Mundial ressaltou que continua comprometido a atingir o objetivo de erradicar a pobreza extrema, definida como a renda inferior a US$ 1,90 (cerca de 7,06 reais) por dia, até 2030.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação