Nutrição

Nutrição

Cresce a procura por leites produzidos a partir de grãos, sementes e cereais. Eles são uma ótima alternativa aos de origem animal

POR ANDRÉ BAIOFF*
postado em 21/10/2018 00:00
 (foto: Fábio Borgatto/Divulgação)
(foto: Fábio Borgatto/Divulgação)
O leite animal é usado em diversos pratos na culinária. Está presente no bolo, naquele brigadeiro de panela delicioso ou em um saboroso estrogonofe. Por muitos anos, falava-se que era fonte interminável de cálcio e vitaminas. Porém, estudos atuais mostram alguns problemas que esse alimento pode trazer à saúde. Em razão disso, muita gente tem substituído os leites de origem animal pelos vegetais.

O hair stylist Adan Henrique Gallo, 27 anos, há algum tempo, tem procurado mudar os hábitos alimentares. Nesse processo, há dois anos, quis substituir o leite tradicional de vaca pelos vegetais. Porém, não achava muito agradável o sabor dos tipos industrializados que encontrava no mercado. Foi aí que ele teve um lampejo: produzir o próprio leite.

Por ser estudante de química, fórmulas e cálculos não foram empecilho. ;Como curioso, decidi estudar profundamente sobre os leites;, detalha. Começou com as castanhas e, em 2017, estava com os quatro tipos de leites que vende hoje engarrafados e rotulados: amêndoa, castanha-de-caju, castanha-do-pará e coco. ;Fui fazendo modificações para ter um produto que agradasse mais às pessoas.;

Para Ana Carolina Candia, esteticista e cosmetóloga especialista em emagrecimento, disfunções metabólicas e ortomolecular, os leites vegetais têm propriedades laxantes. Ajudam no bom funcionamento do intestino, além de ter poder antioxidante para combater radicais livres e proteger o corpo de diversas doenças relacionadas com o processo oxidativo e o envelhecimento precoce.

Ela ressalta que profissionais da saúde estão cada vez mais conscientes dos problemas que o leite de vaca causa e, por isso, os alternativos vegetais estão ganhando espaço no mercado. ;Com tantos estudiosos falando do problema, quem dorme tranquilamente sabendo que você ou seu filho consome esse leite diariamente?;, indaga.

Recomendações

Para quem não tem o hábito de consumir leite vegetal, Marli Dirschen, nutricionista clínica e funcional e consultora em segurança alimentar, indica começar pelo leite de castanhas e de castanhas com coco, por ter um gosto mais agradável. De acordo com ela, os tipos vegetais são indicados para quem tem alergia ou intolerância ao leite de origem animal. ;Por meio deles, é possível eliminar a lactose da dieta e acrescentar os nutrientes dos cereais, das leguminosas e das frutas secas.;

Márcio Mikami é proprietário da loja de produtos naturais Shizen. Ele conta que, cada vez mais, as famílias têm alguém com algum tipo de intolerância ou alergia à lactose. Por conta disso, a bebida de origem vegetal tem tido tanta procura ; estudos apontam um crescimento de 15% ao ano até 2020. ;São naturalmente livres de lactose e têm menos gordura e colesterol que o leite animal.;

Marli diz que os leites vegetais podem até ser feitos em casa. ;É bom para a saúde, rico em nutrientes e uma ótima opção para quem quer deixar de lado o leite animal.; A nutricionista, porém, faz um alerta: ;Embora ricos em nutrientes, os leites vegetais não devem ser substituídos na amamentação;.

*Estagiário sob supervisão de Sibele Negromonte

Faça em casa

A nutricionista Marli Dirschen ensina o preparo do leite de girassol.
  • As sementes de girassol utilizadas podem ser com ou sem casca.
  • O importante é que não contenha sal.
  • Deixe um copo de sementes pré-lavadas imersas em água por oito horas.
  • Em seguida, bata no liquidificador com três a quatro copos de água filtrada.
  • Coe bem para obter cerca de meio litro de leite.

Os diferentes tipos
Os leites vegetais são feitos a partir de grãos, sementes e cereais e podem, sem problema algum, substituir o leite animal. Segundo a nutricionista Marli Dirschen, algumas versões são cozidas. Veja abaixo as mais comuns:

Leite de linhaça
  • A semente de linhaça fortalece a imunidade, pois é um alimento que apresenta substâncias bioativas, capazes de prevenir e tratar inúmeras doenças. Também diminui triglicérides, reduz doenças cardíacas e é anti-inflamatório.

Leite de arroz integral
  • É desintoxicante. Tem proteínas, vitamina B1 e niacina, responsáveis pela transformação de proteínas e carboidratos em energia.

Leite de amendoim
  • Protege o organismo da ação dos radicais livres e conta com grande quantidade de proteínas. O óleo das sementes não é prejudicial, pois sua gordura não é saturada.

Leite de nozes
  • As nozes, em geral, favorecem o aparelho respiratório. Sua gordura é facilmente metabolizada pelo organismo. As nozes tonificam o sistema nervoso e contam com grande quantidade de cálcio.

Leite de quinoa
  • Comparada ao leite materno em valor nutritivo, a quinoa é riquíssima em proteínas e, segundo os antigos incas, o alimento mais rico do planeta em aminoácidos e vitaminas.

Leite de sementes de abóbora
  • Verdadeira mina de ferro, fósforo e cálcio, combate anemia, ajuda na formação de glóbulos vermelhos, na oxigenação das células e na formação de ossos, músculos e cérebro. Limpa a região do intestino e combate vermes. As sementes frescas são indicadas para náuseas e enjoos em gestantes.

Leite de soja
  • Possui fósforo, magnésio, ferro, cálcio, cobre, diversos aminoácidos essenciais e 12 vezes mais proteína do que o leite de vaca. A soja não só revitaliza como proporciona regeneração celular.

Leite de aveia
  • A aveia é um cereal importante na alimentação dos diabéticos, pois contém fibras solúveis, que auxiliam no controle da glicemia. Protege o coração e a circulação contra a aterosclerose. É rica em cálcio, ferro, magnésio, vitaminas do complexo B e, por conter fibras, facilita o fluxo intestinal.

Leite de gergelim
  • O gergelim é ótimo para os músculos e o cérebro. Tem muita proteína e ácido fólico, essencial na formação das células sanguíneas.

Leite de castanha-do-pará
  • Conhecida com

    Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação