Manifestação de apoio a Haddad

Manifestação de apoio a Haddad

Eleitores do petista acreditam em virada nas intenções de voto a uma semana das eleições. Público do PSL se reúne hoje de manhã

LUCAS VALENÇA ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 21/10/2018 00:00

Com a participação principalmente de mulheres, a manifestação #EleNão levou apoiadores da candidatura de Fernando Haddad, do PT, ontem, à rodoviária do Plano Piloto. A caminhada seguiu até a Funarte, onde o grupo se dispersou em meio a palavras de ordem. A agenda do adversário, Jair Bolsonaro (PSL), foi criticada pelos presentes. Diversas cidades do país também tiveram protestos semelhantes. Segundo os manifestantes, havia 10 mil pessoas. Segundo a Polícia Militar (PM), eram 2 mil.

Para a psicanalista e integrante do coletivo Psicanálise da Rua, Téssia Guimarães, de 30 anos, apesar de Bolsonaro se colocar ;contra tudo que está aí;, ele representa o establishment, ou seja, o sistema que tanto critica. ;É uma das mentiras dele;, afirmou.

Bolsonaro lidera as pesquisas de intenção de voto. Téssia Guimarães se diz esperançosa e acredita numa virada. ;Os eleitores do Bolsonaro não são fascistas, como o seu representante, mas são pessoas que estão desamparadas e desesperançosas com relação a esse estado de coisas;, disse.

Subindo em uma árvore, apesar dos 68 anos, a aposentada Maria Antônia conta que a situação no Brasil está ;perigosa;. Para ela, caso Bolsonaro seja eleito, o país sofrerá um retrocesso. ;Sou uma pessoa que luta pela democracia e, caso Bolsonaro se legitime nesta eleição, vai ser um inferno. Vai ser o fim da democracia no Brasil;, lamenta.

No entanto, Maria Antônia acredita que Haddad possa vir a virar a eleição e se consagrar vitorioso. ;Nós vamos impedi-lo de ganhar as eleições. Nós somos fortes, somos lutadoras e lutadores e vamos virar o jogo;.

Várias manifestações foram vistas em várias cidades do país. Hoje manifestações a favor de Jair Bolsonaro estão marcadas em todo o país. Em Brasília, manifestantes vão se concentrar a partir das 9h em frente ao Museu Nacional.

TSE veta vídeo contra Bolsonaro
O ministro Luis Felipe Salomão, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), suspendeu um vídeo da campanha do candidato Fernando Haddad (PT) que associa Jair Bolsonaro (PSL) à prática de tortura. O magistrado atendeu a um pedido da campanha, na qual se alegou à Corte que as imagens provocam medo na população e sugerem que ele perseguirá opositores políticos caso seja eleito. O vídeo vetado cita a morte do capoeirista Moa do Katendê, o crescimento de ataques neonazistas em território nacional e exibe trechos do filme ;Batismo de Sangue;, com cenas de tortura da época do regime militar (1964-1985). As imagens também reproduzem o voto de Bolsonaro durante votação do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em que ele exalta o coronel Brilhante Ustra.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação