Promessa de governo decente

Promessa de governo decente

No primeiro pronunciamento como presidente eleito, Jair Bolsonaro garante defender a Constituição, a democracia e a liberdade. Anuncia que governará com foco na criação de emprego e renda e no equilíbrio fiscal

» JORGE VASCONCELLOS ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 29/10/2018 00:00
 (foto: Reprodução/YouTube)
(foto: Reprodução/YouTube)


O presidente da República eleito, Jair Bolsonaro, afirmou ontem, na leitura do discurso da vitória, que o novo governo será um ;defensor da Constituição, da democracia e da liberdade;. Em sua casa na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, ele assumiu o compromisso de fazer um ;governo decente;, formado por pessoas com o propósito de transformar o Brasil em uma ;próspera, livre e grande nação;. O capitão reformado anunciou que governará com foco na geração de emprego e renda, no equilíbrio fiscal e no enxugamento da máquina pública. Após uma campanha altamente polarizada e agressiva, Bolsonaro assegurou que trabalhará para ;pacificar; o país.

;Faço de vocês minhas testemunhas de que esse governo será um defensor da Constituição, da democracia e da liberdade. Isso é uma promessa, não de um partido, não é a palavra vã de um homem, é um juramento a Deus;, afirmou, pouco depois de confirmada sua vitória com 57.617.527 de votos (55,21%), contra 46.745.460 de Fernando Haddad (44,79%) ; dados de 99,49% das urnas apuradas.

Cercado pela família e por vários aliados, o presidente eleito declarou que ;a liberdade é um princípio fundamental;, seja de ir e vir, política, religiosa, de informação, de opinião e de fazer escolhas. ;Como defensor da liberdade, vou guiar um governo que defenda e proteja os direitos do cidadão que cumpre seus deveres e respeita a leis. Elas são para todos, porque assim será o nosso governo: constitucional e democrático;, declarou.

Cortes

O futuro presidente disse que o novo governo terá de criar condições para que ;todos cresçam;, com a redução da estrutura e da burocracia e com corte de ;desperdícios e privilégios;.

;Nosso governo vai quebrar paradigmas, vamos confiar nas pessoas, vamos desburocratizar, simplificar e permitir que o cidadão, o empreendedor, tenha mais liberdade para construir seu futuro. Vamos desamarrar o Brasil;, declarou, antes de assegurar que ;respeitará de verdade a federação;, com a garantia de que os recursos federais chegarão aos estados e municípios. ;Precisamos de mais Brasil e menos Brasília;, disse.

Bolsonaro reiterou a defesa do direito à propriedade e anunciou que priorizará a realização de reformas, sem, no entanto, detalhar quais seriam. Ele disse, ainda, que seu governo vai interromper o ;ciclo vicioso do crescimento da dívida; para estimular investimentos e gerar empregos. ;Emprego, renda e equilíbrio fiscal é o nosso compromisso para ficarmos mais próximos de oportunidades e trabalho para todos;, afirmou.

Jovens

O presidente eleito transmitiu uma mensagem aos jovens, com a promessa de que o Brasil vai superar a estagnação econômica, pois segundo ele, o novo governo trabalhará ;com os olhos nas futuras gerações, e não na próxima eleição;.

Ao falar sobre política externa, prometeu libertar o ;Brasil e o Itamaraty das relações internacionais com viés ideológico a que foram submetidos nos últimos anos. O Brasil deixará de estar apartado das nações mais desenvolvidas;, declarou. Crítico ferrenho da relação próxima entre os governos petistas e países, como Cuba e Venezuela, o militar reformado disse que vai priorizar uma aproximação com países que agreguem valor econômico e tecnológico aos produtos brasileiros.

Bolsonaro agradeceu às equipes da Santa Casa de Juiz de Fora (MG) e do hospital Albert Einstein, de São Paulo, as duas unidades de saúde onde foi atendido após o atentado à faca que sofreu no início de setembro, durante ato de campanha.

Questionado após o discurso sobre a divisão do Brasil, o presidente eleito afirmou que trabalhará para pacificar o país. ;Não sou Caxias (Duque de Caxias, patrono do Exército), mas sigo o exemplo desse grande herói brasileiro. Vamos pacificar o Brasil e, sob a Constituição e as leis, vamos constituir uma grande nação;, declarou.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação