O estreante Witzel está eleito

O estreante Witzel está eleito

Ex-juiz federal e debutante na política, candidato do PSC derrota Eduardo Paes depois de aparecer nas pesquisas com 1% das intenções de voto. No discurso da vitória, adotou tom conciliatório e firmou pacto com o povo

postado em 29/10/2018 00:00
 (foto: Jose Lucena/Futura Press/Folhapress)
(foto: Jose Lucena/Futura Press/Folhapress)
Com uma diferença considerável de votos e depois de uma reviravolta impressionante nas pesquisas, Wilson Witzel (PSC) venceu a disputa ao governo do Rio de Janeiro com o ex-prefeito da capital fluminente Eduardo Paes (DEM). Ele obteve 4.675.355 votos (59,87%) contra 3.134.400 (40,13%), de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Durante a campanha, Witzel se apresentou como um político não profissional. O apoio ao presidente eleito Jair Bolsonaro também impulsionou a popularidade do estreante na vida pública.

Depois da confirmação da vitória, Witzel recebeu jornalistas em um hotel localizado na Barra da Tijuca. Ele agradeceu a população pelos votos e informou ter recebido um telefonema de Eduardo Paes. ;Eu agradeci e o parabenizei por ter participado do protagonismo democrático. O antagonismo que temos nas ideias agora precisa se transformar em união a favor do estado do Rio de Janeiro. Alguns pontos em comum precisam ser solidificados, na segurança pública, especialmente;, declarou. ;O trabalho é árduo, e vamos precisar da ajuda de todos;, acrescentou, ao explicar que revisará o acordo de recuperação fiscal do Estado.

O governador eleito do Rio de Janeiro também afirmou que conta com uma imprensa livre e imparcial e anunciou que governará para o povo. ;Não tenho compromisso com políticos ou com partidos, e, sim, com o povo que me elegeu;, ressaltou. Sobre a segurança, uma das bandeiras mais levantadas durante a campanha, Witzel comentou que debaterá com Bolsonaro o uso das Forças Armadas no estado. ;O Rio de Janeiro será manchete de todos os jornais nas áreas de saúde, segurança, educação e economia;, acrescentou.

O ex-juiz federal votou por volta das 9h, acompanhado de três dos quatro filhos; da mulher, Helena Witzel; e do candidato a vice-governador de sua chapa, o vereador licenciado Cláudio Castro (PSC). Ao deixar a seção eleitoral, ele falou com a imprensa e prometeu um governo ético, voltado para o povo e calcado no resgate da esperança. ;Vi nos abraços dos jovens as esperanças deles. Tenho a convicção de que tomei a decisão certa de iniciar essa jornada, com sacrifício do meu cargo e da minha família, que se manteve unida, me dando força;, afirmou Witzel, antes de seguir para uma padaria, onde tomou café com a mulher e os filhos.

Recuperação
Aos 50 anos, o governador eleito passou pela Marinha e pela Defensoria Pública. Também professor, contabiliza 17 anos de carreira na Justiça Federal. Witzel participou de casos importantes e de repercussão, como o propinoduto. No início da campanha, apareceu muito atrás de outros candidatos nas pesquisas ; em agosto, tinha 1% das intenções de voto. De acordo com a maioria dos institutos, o segundo turno das eleições no Rio seria disputado entre Paes e o ex-craque Romário. Em 7 de outubro, as urnas mostraram uma ascensão meteórica. Witzel recebeu 41,28% dos votos válidos, enquanto Paes teve 19,56%. Com o slogan ;Mudando o Rio com juízo;, Witzel defende o combate às milícias e ao narcotráfico.

Acompanhado do presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), Eduardo Paes qualificou de ;contundente; a vitória do adversário e reconheceu a forte polarização nas eleições. ;Recebi muito carinho da população de onde estive. A eleição nacional foi muito radicalizada, mas o que eu vi nas ruas foi carinho e respeito;, comentou. Ele descartou qualquer possibilidade de participação no governo de Witzel e anunciou que pretende retornar à iniciativa privada.



;O Rio de Janeiro será manchete de todos os jornais nas áreas de saúde, segurança, educação e economia;

Wilson Witzel, governador eleito do Rio de Janeiro

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação