Espancada pelo ex-namorado

Espancada pelo ex-namorado

Diarista de 37 anos é espancada pelo ex-namorado no local de trabalho, um hotel de Taguatinga. Imagens do circuito interno mostram a fúria do agressor

» SARAH PERES Especial para o Correio
postado em 01/12/2018 00:00
 (foto: Fotos: Reprodução/Camera de Segurança)
(foto: Fotos: Reprodução/Camera de Segurança)

Policiais procuram um jovem de 29 anos que espancou a ex-companheira, de 37, em um hotel da Avenida Samdu Sul, em Taguatinga. A série de agressões ocorreu na noite de quinta-feira e foram registradas pelo circuito interno de segurança do estabelecimento. A vítima trabalha como diarista no local e foi internada no Hospital Regional de Taguatinga (HRT). Ela recebeu alta ontem.

Segundo uma testemunha, que preferiu não se identificar, o homem chegou transtornado ao hotel, localizado acima de um comércio. ;Ele estava alterado, subiu as escadas que dão para a recepção e começou a gritar o nome dela. Depois de muita insistência, ela apareceu, e eles começaram a conversar;, relatou. ;Na escada, ele começou a espancá-la com socos e chutes. Ela ainda foi jogada pelos degraus. Enquanto isso, ele a xingava. É uma situação que nunca pensei que passaria na minha vida. Foi uma cena horrível;, disse.


Nas imagens do circuito interno é possível ver a selvageria e a violência das agressões. Ao Correio, a testemunha informou que o suspeito estaria armado e ameaçava quem tentasse ajudar a vítima: ;Ele pegava na cintura e dizia: ;Vem, vem para ver o que vocês vão levar. Ninguém se aproxima;. Corremos de medo do que ele poderia fazer. Se ele estivesse mesmo armado, poderia nos matar. Ligamos imediatamente para a polícia;.

Mesmo após a vítima não reagir, o ex-companheiro continuou a espancá-la, sempre no rosto e na cabeça. Parou apenas quando ela ficou imóvel no chão. Ele pegou o celular dela, saiu do hotel e seguiu para o carro, estacionado na lateral. ;Ele estava tão louco, que não foi embora de uma vez. Simplesmente, pegou o veículo, parou em frente à portaria e ficou olhando para dentro. Só depois ele saiu. Aí, pudemos ajudar a mulher;, acrescentou a testemunha. A diarista ficou um dia internada no HRT por causa dos ferimentos.

Medida protetiva
A vítima disse à testemunha que o agressor ficou irritado, porque ela mentiu sobre o paradeiro. Ele chegou a procurá-la em outros endereços antes de ir ao hotel. O casal está separado. A investigação é da 12; Delegacia de Polícia (Taguatinga Centro), que não divulgou o nome do acusado. A vítima ainda não prestou depoimento por questões de saúde. O caso é tratado como lesão corporal. Mas, conforme apuração dos agentes, a tipificação do delito pode ser alterada para tentativa de homicídio.

Depois de receber alta, a diarista pediu uma medida protetiva contra o agressor. Ela também recebeu um encaminhamento para a realização do exame de corpo de delito no Instituto de Medicina Legal (IML). A mulher deve prestar depoimento na segunda-feira.



Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação