"Não podemos querer salvar o Brasil matando o idoso"

"Não podemos querer salvar o Brasil matando o idoso"

postado em 01/12/2018 00:00


O presidente eleito Jair Bolsonaro voltou a demonstrar contrariedade com a reforma da Previdência apresentada pelo presidente Michel Temer. Em entrevista em Cachoeira Paulista (SP), o deputado disse que é preciso ;tomar cuidado; com a medida apresentada pelo presidente Michel Temer. ;Ela não está justa, no meu entender. Não podemos querer salvar o Brasil matando o idoso.;O presidente eleito não quis detalhar qual proposta apresentará, mas reafirmou a intenção de enviar uma reforma da Previdência ao Congresso no primeiro ano de mandato. Depois de insistir que não negociaria cargos com partidos políticos, Bolsonaro confirmou que a partir da semana que vem começará a conversar com líderes partidários para aproximar o futuro governo do Congresso. ;O Parlamento é responsável. Se nós dermos errado, todo mundo perde;, disse Bolsonaro após visitar o Santuário da Canção Nova, em Cachoeira Paulista (SP), no Vale do Paraíba.O político disse que conversará com dois ou três partidos por dia na semana que vem. Ele declarou que a intenção é negociar saídas para as crises ética, moral e econômica do país. ;Devemos sair dessa crise juntos e o presidente sozinho não pode fazer nada, porque pelo parlamentar passa grande parte das propostas.;

Indulto

Por duas ocasiões, Bolsonaro criticou o indulto natalino editado pelo presidente Michel Temer em 2017 e que já tem maioria para ser confirmado no Supremo Tribunal Federal. A medida pode beneficiar condenados por corrupção. O presidente eleito declarou ter avaliado com ;bastante tristeza; o indulto natalino de Temer. Mais cedo, ele afirmou que não editará nenhum indulto em seu governo e defendeu que condenados cumpram integralmente suas penas.

No primeiro bimestre de 2019, revelou Bolsonaro, ele pretende ir aos Estados Unidos e quer aprofundar as relações comerciais do Brasil com o país norte-americano. Questionado sobre o Acordo de Paris, cuja permanência brasileira foi colocada como condição pela França para o acordo comercial entre Mercosul e União Europeia, Bolsonaro afirmou que seu governo vai procurar fazer o melhor pelo meio ambiente independentemente do acordo.

Mercosul

O deputado disse que não deu um ;não definitivo; para a tentativa de acordo entre o Mercado Comum do Sul (Mercosul) e a União Europeia (UE). Ele revelou que, após apelo do presidente da Argentina, Maurício Macri, o futuro ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, recomendou ;ter um pouco mais de paciência; na costura do acordo para que o Brasil não perca mercado. ;A partir do momento que requerem diminuir a quantidade de exportáveis nossos, essas commodities, logicamente, não podem contar com nosso apoio. Mas não é um ;não; em definitivo, nós vamos é negociar.;

O presidente da França, Emmanuel Macron, disse na quinta-feira, em Buenos Aires, que a possibilidade de seu governo apoiar o acordo comercial entre UE e Mercosul depende da posição do presidente eleito do Brasil sobre o Acordo Climático de Paris. Em meio às negociações para fusão da Embraer com a Boeing, Bolsonaro afirmou que seu governo dará aval para o acordo e seguirá com o processo. ;Sou favorável a ela (à fusão). Entendo que a Embraer, se continuar solteira como está, a tendência é desaparecer.; Com o governo tendo a chamada ;golden share;, ação que garante poder de veto na venda da companhia, a gestão dará prosseguimento à fusão das duas empresas.

Intervenção

Bolsonaro confirmou que não vai prorrogar a intervenção federal na segurança pública do Rio de Janeiro quando assumir a Presidência. A intervenção no Estado termina no dia 31 de dezembro deste ano. ;Eu assumindo, não prorrogarei. Se quiserem falar em GLO (Decreto de Garantia da Lei e da Ordem), eu dependerei do Parlamento para assinar.; Ele disse defender a necessidade de uma retaguarda jurídica para os agentes de segurança. ;Não posso admitir que um integrante das Forças Armadas, da Polícia Militar, Polícia Federal, entre outros, após cumprimento da missão, respondam a um processo.;

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação