Temer critica facilidades do protecionismo

Temer critica facilidades do protecionismo

No primeiro dia de reunião de cúpula do G20, presidente brasileiro defende a globalização e diz que escolha do Brasil é pela integração de todos. Em encontro paralelo, Estados Unidos, Canadá e México assinam acordo de comércio que substitui o Nafta

postado em 01/12/2018 00:00
Na abertura das reuniões da cúpula do G20, grupo das 20 maiores economias do mundo, em Buenos Aires, o presidente da Argentina, Mauricio Macri, anfitrião do evento, destacou que as mudanças sociais e econômicas ocorridas nos últimos tempos levaram a um aumento dos questionamentos sobre os organismos multilaterais. Ele ressaltou a importância de se buscar consensos. ;Temos a obrigação de mostrar que desafios globais se resolvem com soluções globais;, enfatizou.

Em seu primeiro discurso no evento, o presidente brasileiro, Michel Temer, defendeu a globalização e destacou que é preciso ;recusar as aparentes facilidades do protecionismo e do isolacionismo;. ;Quero reafirmar que a escolha do Brasil é pela integração de todos;, afirmou.

Temer defendeu que ;mais e mais pessoas; tenham acesso aos benefícios da globalização. ;A verdade é que, hoje, a globalização é fonte inegável de oportunidades. Mas é também fonte de ansiedade para parcelas significativas de nossas populações;, disse.

O presidente brasileiro, em reunião informal com líderes do Brics (grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul) afirmou que o Novo Banco de Desenvolvimento deve ganhar ;enovado ímpeto; nos próximos anos. Temer destacou que o chamado banco dos Brics já calcula US$ 4 bilhões em projetos de infraestrutura desde a sua fundação, em 2014.

À margem do encontro de líderes do G20, os presidentes dos Estados Unidos, Donald Trump, do México, Henrique Peña Nieto e o primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau, assinaram o novo acordo comercial entre os três países, o USMCA, substituindo o antigo Acordo de Livre Comércio da América do Norte (Nafta).

Em coletiva de imprensa, Trump considerou que o USMCA é o melhor acordo da história. ;Inclui setores de indústria, agronegócios e tecnologia. O acordo é maravilhoso para nossos agricultores;, disse. Trudeau também elogiou o pacto dizer é ;justo;, destacando que os benefícios de comércio devem ser amplamente compartilhados. ;Protegeremos nossos empregos e criaremos novas oportunidades aos negócios;, disse.

Independentemente do sucesso do acordo, a ministra das Relações Exteriores do Canadá, Chrystia Freeland, afirmou que seu país continua a considerar ;absurdo; o uso pelo governo do presidente americano de tarifas contra o aço e o alumínio canadenses com o argumento da segurança nacional. Segundo ela, não há inclusive base legal para esse uso, por isso o governo canadense continua a contestá-lo e a pedir seu fim.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação