Hotel Nacional será reformado

Hotel Nacional será reformado

Donos de outros 10 imóveis do ramo na capital, novos proprietários do edifício anunciam revitalização daquela que foi a mais luxuosa hospedaria da cidade

» ALEXANDRE DE PAULA » AUGUSTO FERNANDES ESPECIAL PARA O CORREIO
postado em 05/12/2018 00:00
 (foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)
(foto: Minervino Junior/CB/D.A Press)

Arrematado por R$ 93 milhões, o Hotel Nacional de Brasília, um dos símbolos da arquitetura e da história da capital, será reformado e modernizado, mas sem perder as características principais. É isso que garante a Incorp, empresa de incorporação e imobiliária que comprou o prédio. ;Ele será adaptado de maneira moderna, mas sem alterar a arquitetura;, assegura o advogado da companhia, Saulo Mesquita.

A Incorp representa dois grupos responsáveis pelo comando de 10 hotéis na capital, o Fenícia e a construtora Luner (dona do Quality Hotel). ;Como são dois grupos com experiência na área, queremos fazer com que o Hotel Nacional volte a ser o ícone que merece;, diz Mesquita.

O advogado explica que o processo de arrematação precisa passar por algumas etapas antes de a propriedade ser integrada ao grupo. ;Temos de esperar os prazos recursais e a emissão de uma carta de arrematação antes de fazer qualquer coisa em relação ao prédio;, esclarece. Depois, o setor de engenharia do grupo fará o projeto de reforma. ;Vamos manter a fachada e o interior. Toda a estrutura será modernizada, porque o local está em estado de decadência;, ressalta o advogado. Ele prevê de um ano a um ano e meio para a conclusão da reforma.

O Hotel Nacional foi a leilão três vezes neste ano, por meio do site Mega Leilões. Na primeira tentativa, em 29 de outubro, o lance inicial era de R$ 185 milhões. Após duas semanas sem propostas, o preço mínimo para arrematar o hotel baixou para R$ 130 milhões, em 12 de novembro. Ele continuou sem receber nenhum lance. Em 27 de novembro, o valor de caiu para R$ 93 milhões.

Antes de o certame ser encerrado, a Incorp I Empreendimentos Imobiliários Ltda., com sede em Brasília, fez a oferta de R$ 93 milhões. Ela se comprometeu em pagar o valor de forma parcelada, que deve ser quitado por completo em junho de 2021.

Tombamento
O Hotel Nacional não é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), apesar de estar inserido no conjunto urbanístico de Brasília ; este, por sua vez, tombado como patrimônio nacional e distrital. O novo dono da edificação teria a liberdade de, por exemplo, demolir a estrutura, desde que respeitasse a volumetria dos edifícios. A Incorp garante que isso não será feito. O Iphan pode ajudar nos estudos para a reforma. ;O Iphan se coloca à disposição para orientar e contribuir na qualificação de qualquer projeto de intervenção do prédio, ressaltando que se deve sempre cumprir as regras de tombamento;, informou o instituto, por meio de nota.

A arquiteta e urbanista Emília Stenzel alerta que qualquer intervenção no Hotel Nacional requer cuidados. ;Tanto do ponto de visto econômico quanto cultural, é um dos prédios mais marcantes da história de Brasília, mesmo que não esteja formalmente tombado. É um ícone da arquitetura moderna brasiliense;, comentou.

A reportagem tentou entrar em contato com os atuais donos do Hotel Nacional, mas nenhum concedeu entrevista. A notícia do leilão preocupa os funcionários do estabelecimento. ;Não sabemos se quem vai entrar dará continuidade ao que é feito atualmente. Tenho medo de que mude tudo. Estamos apreensivos;, disse um funcionário do prédio, que não quis se identificar. Há oito anos trabalhando no hotel, ele teme a perda do emprego. ;Venho de Sobradinho todos os dias. São mais de 40 quilômetros. É aqui que ganho a vida e consigo o sustento para a mulher e meus quatro filhos. Se me tirarem isso, não sei o que fazer;, contou.




Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação