Adolescência politizada

Adolescência politizada

postado em 24/12/2018 00:00

O mundo contemporâneo deu aos adolescentes o acesso quase ilimitado a informações, propiciando a eles terem as próprias convicções políticas. Além disso, a juventude brasileira está acostumada à liberdade de expressão e aos comentários argumentativos nas redes sociais ; seja em matérias de jornais, seja em publicações particulares. ;O grande ;tchan; foi a internet, que colocou um punhado de informações bem na cara das pessoas;, explica o professor de ciência política da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRS) Cléber Zimmerman. Análises feitas pela instituição mostram que os jovens acompanharam as eleições com mais detalhes e mais rapidez. ;Eles que souberam pesquisar o passado dos candidatos e buscaram maneiras de debater questões que os mais velhos, por não terem essa compreensão, não souberam como agir;.

Bons argumentos

Não significa dizer que as desavenças entre parentes e amigos só aconteceram pela desinformação, mas o cenário apontado pelo especialista traduz a necessidade de bons argumentos na hora do embate de ideias. ;O importante é ter notícia, fatos que mostrem o motivo de uma opinião ficar acima da outra. A cultura brasileira do ;gritar mais alto; só cria confusão. Depois, é complicado aparar essas arestas;, complementa Zimmerman.

Especialistas aconselham que, na hora de falar sobre política, haja muita pesquisa a fim de que as pessoas saibam explanar seus pontos de vista. ;Assim, fica bom. Quem entende do riscado sai sempre feliz. As pessoas precisam ter calma, olhar pelo lado da razoabilidade. Não significa contemporizar, mas, sim, conversar sem atritos;, aponta o professor. (BB)

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação