Doze dias de terror no Ceará

Doze dias de terror no Ceará

No 12º dia de ataques, explosivos danificam ponte em estrada federal, no município de Chorozinho, e prédio de Juizado Especial, em Fortaleza. Não houve feridos. Governador do estado sanciona pacote de leis para combater a onda de vandalismo

postado em 14/01/2019 00:00
 (foto: João Dijorge/Photopress

)
(foto: João Dijorge/Photopress )


Uma ponte na BR 116 em Chorozinho, na região metropolitana de Fortaleza, e a sede de um Juizado Especial na capital cearense foram atingidas por explosivos na madrugada de domingo. A onda de violência no Ceará chegou ao 12; dia, com 347 suspeitos presos ou apreendidos por participação nos atos criminosos registrados nos últimos dias no Estado.

Segundo a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social, os explosivos danificaram uma ponte no município de Chorozinho (a cerca de 70 quilômetros de Fortaleza), no quilômetro 66 da BR 116. De acordo com agentes que estiveram no local, informa a secretaria, ;os danos na construção foram mínimos;. Nesta manhã, haviam sido feitos bloqueios na via e a Polícia Rodoviária Federal (PRF) orientou motoristas em relação aos desvios.

Policiais militares estão à procura dos envolvidos no atentado. O Grupo de Ações Táticas Especiais (Gate) da Polícia Militar e peritos da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce) foram acionados para realizar procedimentos de segurança e perícia.

Já em Fortaleza, também de madrugada, foi atacada a sede do Juizado Especial do bairro Montese, localizado na Rua Desembargador João Firmino. Com artefatos explosivos, os suspeitos provocaram danos nas vidraças do edifício e atingiram parte do reboco de uma coluna. A polícia faz buscas pelos criminosos.

No interior e na capital do Estado, veículos foram incendiados. Não há informações de feridos. Em Fortaleza, a circulação de ônibus continua sendo protegida por forças de segurança. A polícia também tem procurado garantir a segurança dos trabalhadores em serviços públicos. Caminhões de coleta de lixo, por exemplo, tem recebido escolta. A Força Nacional está no Ceará para auxiliar nas ações de combate ao crime.

Reforço
O governador do Ceará Camilo Santana (PT) sancionou ontem um pacote de leis que haviam sido encaminhadas pelo Executivo à Assembleia Legislativa. Os deputados haviam aprovado as propostas na tarde de sábado, em sessão extraordinária. As novas normas foram publicadas em edição extra do Diário Oficial do estado.

As leis que passam a valer de imediato são a convocação de policiais militares e bombeiros militares que estão na reserva para reforço da tropa em operação; aumento da quantidade de horas extras (de 48 horas para 84 horas mensais) que podem ser pagas a todos os policiais, civis e militares, além dos bombeiros e agentes penitenciários; e a criação da Lei da Recompensa, que prevê o pagamento em dinheiro, pelo Estado, para informações prestadas pela população que levem à prevenção de atos criminosos e à prisão de pessoas envolvidas nas ações.

Além disso, foi instituído o Fundo de Segurança Pública e Defesa Social; criado um banco de informações sobre veículos desmontados; definidas regras de restrição ao uso do entorno dos presídios do Estado para prevenir fugas e garantir mais segurança; e autorizados convênios e parcerias com União e outros estados na cessão de policiais ao Ceará.

A onda de vandalismo que atinge o estado completou ontem 12 dias. As estatísticas dos órgãos de segurança registram 200 ações violentas em 44 municípios. Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Ceará, 347 suspeitos foram presos. O Ministério da Justiça autorizou também a transferência de 35 chefes de facções criminosas para presídios federais.

Tags

Os comentários não representam a opinião do jornal e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação